Macron pede 'unidade' aos franceses em 2019

Presidente francês avaliou que 'os resultados' das reformas promovidas desde o início de seu mandato 'não podem ser imediatas'

Por AFP

Presidente francês, Emmanuel Macron
Presidente francês, Emmanuel Macron -

Paris - O presidente francês, Emmanuel Macron, pediu nesta segunda-feira a seus compatriotas que se unam para superar 2019, em mensagem ao final de um ano marcado por movimentos de protesto contra o governo.

"Vamos deixar de acreditar que a França é um país onde não há solidariedade, onde é preciso gastar sempre mais", declarou Macron em discurso à Nação transmitido pela TV. "Podemos fazer melhor e devemos fazer melhor".

O movimento dos "coletes amarelos", que protesta desde meados de novembro contra a política social e fiscal, tem desestabilizado o governo de Macron.

A "raiva" dos "coletes amarelos" em 2018 mostrou "que não estamos resignados", disse Macron na noite desta segunda-feira.

Macron avaliou que "os resultados" das reformas promovidas desde o início de seu mandato "não podem ser imediatas" e que a "impaciência, que compartilha, não deve justificar a renúncia" a estas reformas.

Sem citar os "coletes amarelos", Macron admitiu em seu discurso "o grande sofrimento e a raiva que vem de longe: raiva contra a injustiça, contra o curso da globalização as vezes incompreensível, raiva contra um sistema administrativo cada vez mais complexo e sem indulgência".

"Nosso país quer construir um futuro melhor, que repouse em nossa capacidade de inventar novas maneiras de realizar e estar juntos. Nosso futuro se fará apenas com unidade e esforço de cada um".

 

 

 

 

Últimas de Mundo & Ciência