Inflação na Venezuela chega a 2.688.670% em janeiro, segundo Parlamento

Em janeiro, os preços de alimentos e bebidas aumentaram 266,2%; os de aluguel de imóveis, 202%; e os do transporte, 451%, segundo cálculos parlamentares

Por AFP

Vice-presidente ressaltou que o incêndio começou na quinta-feira, 'no momento em que o presidente Nicolás Maduro era empossado'
Vice-presidente ressaltou que o incêndio começou na quinta-feira, 'no momento em que o presidente Nicolás Maduro era empossado' -

Caracas - A inflação na Venezuela acelerou em janeiro a 191,6%, afetada pelo agravamento da crise política, levando o índice anualizado acumulado em 12 meses a 2.688.670%, segundo relatório do Parlamento de maioria opositora publicado nesta quinta-feira.

A inflação mensal aumentou quase 50 pontos em relação ao último trimestre do ano passado, uma aceleração atribuída em parte a uma desvalorização de 194% da moeda local, o bolívar, no mercado negro, disse à imprensa Ángel Alvarado, deputado da comissão de Finanças da Assembleia Nacional.

Os preços aumentam diariamente 3,5%, um ritmo que, segundo o FMI, levará a inflação a 10.000.000% em 2019.

A crise política venezuelana se intensificou desde que, em 23 de janeiro, o líder opositor parlamentar Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino, reconhecido desde então por 40 países.

Em janeiro, os preços de alimentos e bebidas aumentaram 266,2%; os de aluguel de imóveis, 202%; e os do transporte, 451%, segundo cálculos parlamentares.

O Banco Central deixou de publicar índices macroeconômicos em fevereiro de 2016 e o Parlamento, cujas decisões são consideradas nulas pelo Tribunal Supremo de Justiça, após ser declarado em desacato, começou a fazer estimativa por conta própria em 2017.

Comentários