Expulsão de cardeal é 'sinal' de que abusos não serão mais tolerados na Igreja Católica

O vaticano declarou McCarrick culpado por abusar sexualmente um adolescente

Por France Press

Ex-cardeal da Igreja Católica McCarrick foi expulso por abusar sexualmente de adolescentes
Ex-cardeal da Igreja Católica McCarrick foi expulso por abusar sexualmente de adolescentes -

Estados Unidos - A decisão do papa Francisco de expulsar do sacerdócio o ex-cardeal Theodore McCarrick por acusações de abuso sexual "é um claro sinal" de que atos como este não serão mais tolerados, informou neste sábado (16) a Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos.

"Nenhum bispo, não importa quão influente seja, está acima da lei da Igreja", disse o presidente da Conferência de Bispos, o cardeal Daniel DiNardo, em uma declaração.

McCarrick, de 88 anos, que renunciou ao Colégio de Cardeais do Vaticano em julho, é o primeiro cardeal a ser expulso por abuso sexual.

"Para todos o que McCarrick abusou, rogo que essa sentença seja um pequeno passo, entre muitos, até a cura", indicou a nota.

"Para nós, bispos, isso fortalece a nossa determinação de nos responsabilizarmos ante o Evangelho de Jesus Cristo. Estou grato ao papa Francisco pela forma decidida como dirigiu a resposta da Igreja", disse DiNardo.

A Igreja tem sido criticada durante muito tempo por proteger da lei os sacerdotes abusadores, mas este comunicado dos bispos parece indicar uma mudança.

"Se alguém sofreu abuso sexual pelas mãos de alguém de dentro da Igreja Católica, peço que entre em contato com a polícia local e com sua diocese", disse.

"Os Coordenadores de Assistência às Vítimas estão disponíveis para ajudar. Estamos comprometidos com a cura e a reconciliação".

Em janeiro, um tribunal do Vaticano declarou McCarrick culpado de abusar sexualmente de um adolescente, decisão confirmada pelo papa em fevereiro, sem "mais recursos" de apelação, segundo uma declaração do Vaticano.

A Santa Sé ressaltou que McCarrick era culpado de "cometer pecados contra o sexto mandamento com menores e com adultos, com o fator agravante do abuso de poder".

A expulsão do sacerdócio é a punição eclesiástica mais severa para um sacerdote, que se vê reduzido à condição de leigo e não pode oficiar missas.

Comentários