Bill Shine, diretor de comunicação de Donald Trump, pede demissão

Pedido de demissão do ex-executivo da Fox News ocorre num momento em que aumentam as acusações sobre a proximidade de Trump com a emissora

Por AFP

Bill Shine deixou a Fox News há menos de um ano por acusações de encobrimento de supostos maus comportamentos.
Bill Shine deixou a Fox News há menos de um ano por acusações de encobrimento de supostos maus comportamentos. -

Washington - O diretor de comunicação da Casa Branca e ex-executivo da Fox News, Bill Shine, pediu demissão do cargo, anunciou nesta sexta-feira o governo americano.

"O assessor do presidente e diretor de comunicação Bill Shine apresentou sua demissão ao presidente ontem à noite (quinta), e o presidente aceitou", informou através de um comunicado a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

"Bill segue prestando seu apoio ao presidente Trump e a seu programa e exercerá funções de conselheiro na campanha eleitoral de 2020 para a reeleição", acrescentou.

Sanders não especificou os motivos da saída de Shine, de 55 anos, que foi nomeado vice-presidente da Fox News em agosto de 2016 após a abrupta renúncia de seu chefe Roger Ailes por acusações de assédio sexual.

Shine deixou a emissora de televisão há menos de um ano por conta de pressões em relação à forma como lidou com o caso Ailes e por acusações de encobrimento de supostos maus comportamentos.

O pedido de demissão do ex-executivo ocorre num momento em que aumentam as acusações sobre a proximidade de Trump com a rede Fox, cuja estrela principal, o apresentador de televisão Sean Hannity, trabalhou como assessor informal do então candidato presidencial na campanha de 2016.

Frequentemente Trump se refere às emissoras rivais da Fox, CNN e MSNBC, e também aos jornais The New York Times e The Washington Post, como propagadores de "fake news (notícias falsas)."

 

Comentários