Fronteira irlandesa tem manifestação contra o Brexit

Alguns tinham cartazes amarelos nos quais se lia "Sem fronteiras, sem barreiras. Respeite a votação pelo 'Remain'"

Por AFP

Entre 200 e 300 pessoas se manifestaram na fronteira entre a Irlanda e a província britânica da Irlanda do Norte para protestar contra o Brexit em 30 de março de 2019
Entre 200 e 300 pessoas se manifestaram na fronteira entre a Irlanda e a província britânica da Irlanda do Norte para protestar contra o Brexit em 30 de março de 2019 -

Irlanda - Entre 200 e 300 pessoas se manifestaram neste sábado na fronteira entre a Irlanda e a província britânica da Irlanda do Norte para protestar contra o Brexit, por temor de que sejam reinstauradas as fronteiras na ilha.

Os manifestantes, que responderam à convocação do grupo Comunidades Fronteiriças contra o Brexit (Border Communities against Brexit), entre os quais estão o ex-dirigente do partido nacionalista irlandês Sinn Fein, Gerry Adams, e a atual presidente, Mary Lou McDonald, se reuniram sobre uma ponte que cruza uma estrada unindo Dublin a Belfast.

Alguns tinham cartazes amarelos nos quais se lia "Sem fronteiras, sem barreiras. Respeite a votação pelo 'Remain'", a favor de permanecer na União Europeia (UE), enquanto outros fantasiados de agentes aduaneiros controlavam carros perto de um falso posto fronteiriço.

"Meu trajeto, que agora leva uma hora, vai envolver três travessias de fronteira em cada direção, isso é atravessar a fronteira seis vezes por dia, não consigo imaginar o que isso significará em termos de tempo", disse à AFP Patricia McGenity, que mora nas redondezas da fronteira.

O acordo de saída da UE, firmado entre Londres e seus parceiros do bloco, prevê um mecanismo para impedir a reintrodução dos controles de fronteira na ilha da Irlanda e assim preservar os acordos de paz de 1998 que puseram fim ao conflito. Contudo, ele foi rejeitado três vezes pelo Parlamento britânico.

 

Comentários