Emily Hartridge - Reprodução Instagram
Emily HartridgeReprodução Instagram
Por O Dia
Londres - A YouTube e apresentadora de TV Emily Hartridge morreu após o patinete elétrico em que ela estava colidir com um caminhão. O acidente aconteceu em Londres, capital da Inglaterra, na última sexta-feira (12). A britânica tinha 35 anos e era conhecida por seus vídeos sobre exercícios físicos e vida saudável. De acordo com jornais locais, Emily foi a primeira vítima fatal de uma ocorrência com esse tipo de veículo no país. 
Um mensagem de despedida foi publicada no perfil da influencer no Instagram. "Olá a todos. Esta é uma coisa horrível a se dizer pelo Instagram, mas sabemos que muitos de vocês estavam esperando ver Emily hoje, e esta é a única maneira de contatar todos de uma vez. Emily se envolveu em um acidente ontem [sexta-feira] e faleceu. Todos nós a amamos muito, e ela nunca será esquecida. Ela tocou tantas vidas, que é difícil imaginar as coisas sem ela. Ela era uma pessoa muito especial", diz o texto.
 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Emily Hartridge (@emilyhartridge) em

Publicidade
 
Na Inglaterra é ilegal circular de patinete elétrico em vias públicas. Porém, a proibição não vale para espaços privados. Por conta da popularidade do veículo, que pode atingir velocidades superiores a 30 km/h, o Departamento de Transportes local cogita reavaliar as restrições.
Publicidade
Patinete elétrico: polêmica mundial 
O uso do patinete elétrico vem gerando controvérsias mundialmente, já que muitos países ainda não definiram regras específicas para ele. Até o momento, já houve registro de mortes os Estados Unidos, Suécia e França, onde no mês passado um homem de 25 anos bateu em um caminhão em Paris.
Publicidade
No Brasil a polêmica também se instalou. O veículo ainda não é regulamentado na maioria das cidades, apesar de já ter virado febre. Recentemente, ficou estabelecido que os usuários devem seguir as normas gerais determinadas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Entretanto, cabe a cada município regulamentar a circulação do veículo.