Aplicativos criados por alunos da UFF facilitam integração na pandemia - Divulgação
Aplicativos criados por alunos da UFF facilitam integração na pandemiaDivulgação
Por O Dia
Rio - Com a aproximação do fim do ano, entre os milhares de softwares disponíveis no mercado, chegou a hora de relembrar os fatos que marcaram o universo dos aplicativos. Desde polêmicas envolvendo ministros de Estado a aplicativos para pessoas bem-sucedidas que buscam jovens para um romance patrocinado. Telegram, Instagram e Facebook são alguns dos aplicativos que deram o que falar em 2019.

Yolo
No início de 2019, o aplicativo Yolo, sigla de "You Only Live Once" (você só vive uma vez, em tradução livre), esteve no topo dos mais baixados da App Store. O app permite que usuários do Snapchat postem uma foto convidando terceiros — que podem ser amigos da sua rede de contatos ou pessoas em geral— a "mandar-me mensagens anônimas”. Isso gerou debate entre especialistas que alertaram para o risco de mensagens abusivas, ofensivas e repletas de bullying.

'Facebook Coin'

A confirmação de que o Facebook teria a intenção de criar uma criptomoeda, na época chamada de "GlobalCoin" ou "Facebook Coin", surgiu em abril de 2019 e deu o que falar. A moeda foi formalmente anunciada em 18 de junho de 2019, e sua primeira versão tem previsão para lançamento 2020. No início do ano, o Facebook também foi algo de polêmica envolvendo a venda de dados de usuários.

Instagram

No final de abril, o Instagram anunciou que iria deixar de mostrar o número de curtidas das imagens postadas na rede social, em julho o aplicativo cumpriu a promessa e deixou a internet em polvorosa. Muitos internautas comemoram a novidade. A maioria das pessoas se disseram “aliviadas” por não sentir mais a pressão de ter um grande número de curtidas nas fotos. Outras contaram que, não iriam mais deixar de publicar fotos por medo de não ter curtidas.


Universo Sugar 
Publicidade
Em maio de 2019, estreava na TV Globo em horário nobre, a novela A Dona do Pedaço, trazendo duas personagens polêmicas: a sugar baby e o sugar daddy. O Brasil entrou na onda do romance patrocinado. O termo sugar daddy esteve em alta em 2019, virou de livro, tema de músicas e ganhou ainda mais espaço nas redes sociais. Nem a ministra do governo Bolsonaro, Damares Alves, escapou das ‘investidas’ do aplicativo, após tornar público o interesse em arrumar um “date”, o site de relacionamento presenteou a pastora com uma assinatura vitalícia no site de relacionamento Universo Sugar.


FaceApp 
O aplicativo se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais em 2019. Até mesmo os famosos se deixaram levar pela diversão do FaceApp e publicaram imagens depois do “envelhecimento”. No entanto, algumas preocupações em relação à privacidade do usuário começaram a ser debatidas. Defensores da privacidade de dados alertaram que usuários estão fornecendo à plataforma muito mais informações do que deveriam.


Telegram 

No dia 9 de junho de 2019, o aplicativo de mensagens instantâneas esteve no centro de um escândalo desencadeado pelo vazamento de conversas de autoridades brasileiras dos três Poderes, entre elas o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro e procurados ligados à Operação Lava Jato. As mensagens, posteriormente, foram publicadas pelo o site The Intercept Brasil. O Telegram, criado em 2013 justamente para, em tese, prover mais proteção a seus usuários, protagonizou se não o maior, mais uma das maiores crises políticas que abalou as estruturas do judiciário brasileiro.