'Não à guerra com o Irã!', clamam manifestantes nos EUA

Cerca de 200 pessoas se concentraram em frente à Casa Branca

Por AFP

Washington - Manifestantes reuniram-se neste sábado em Washington, Nova York e outras dezenas de cidades americanas, aos gritos de "Não à guerra com o Irã!", após o assassinato do general iraniano Qasem Soleimani por ordem do presidente Donald Trump.

Cerca de 200 pessoas se concentraram em frente à Casa Branca, depois que organizações de esquerda convocaram protestos em cerca de 70 cidades, sob os lemas "Retirada americana do Iraque agora!" e "Não à guerra e às sanções contra o Irã!".

"Não permitiremos que nosso país seja arrastado para outra guerra inconsciente", gritou um dos organizadores ao grupo reunido diante da residência presidencial, que se dirigiu, em seguida, ao hotel Trump International, próximo dali.

"Precisa desviar a atenção? Provoque uma guerra!", dizia o cartaz de Sam Crook, 66. "Este país está nas mãos de alguém que não é mentalmente equilibrado. Tenho medo de que provoque inadvertidamente - acho que realmente não quer - uma verdadeira conflagração no Oriente Médio", assinalou à AFP.

Na Times Square, em Nova York, manifestantes marcharam levando cartazes pedindo a retirada das tropas americanas do Iraque e que se evite "uma guerra com o Irã".

Também houve protestos hoje em frente à Trump Tower de Chicago, de propriedade do presidente, e em Los Angeles.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários