Após protestos, governo da França admite negociar idade mínima de aposentadoria

Foi a primeira vez que o governo francês indicou abertamente alguma abertura na questão da idade da aposentadoria, na esperança de acabar com as greves

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Protestos contra a reforma da Previdência continuam na França
Protestos contra a reforma da Previdência continuam na França -
Paris - O primeiro-ministro francês, Edouard Philipe, informou os sindicatos que organizam uma greve no sistema ferroviário, por causa da reforma previdenciária, que está aberto a recuar em uma das propostas mais controversas: elevar a idade mínima de aposentadoria para 64 anos.

Philippe escreveu aos sindicatos neste sábado, um dia depois que o governo francês e os representantes trabalhistas se envolveram em negociações que pareciam ter chegado a um impasse, após mais de um mês de greves e protestos.

A carta de Philippe diz que o plano para aumentar a idade de elegibilidade para aposentadoria completa de 62 para 64 - o principal ponto de discórdia dos sindicatos - estava aberto à negociação. Foi a primeira vez que o governo francês indicou abertamente alguma abertura na questão da idade da aposentadoria, na esperança de acabar com as greves.

No entanto, Philippe disse que qualquer compromisso depende de acertar compensações para o sistema previdenciário da França, que registra um número recorde de pessoas com mais de 90 anos.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários