Homem é encontrado morto na rua em Wuhan, foco da epidemia na China

O homem, com idade por volta de 60 anos, usava uma máscara de proteção. Ele foi encontrado deitado, com o rosto virado para cima e os braços estendidos ao longo do corpo

Por AFP

Franceses em avião de evacuação com destino ao sudeste da França, antes da partida do Aeroporto de Wuhan (WUH), China
Franceses em avião de evacuação com destino ao sudeste da França, antes da partida do Aeroporto de Wuhan (WUH), China -
Wuhan - O corpo de um homem morto permaneceu por várias horas em uma calçada de Wuhan, a cidade chinesa epicentro da epidemia do novo coronavírus, antes de ser levado pelos serviços de emergência.

O homem, com idade por volta de 60 anos, usava uma máscara de proteção. Ele foi encontrado deitado, com o rosto virado para cima e os braços estendidos ao longo do corpo.

Ainda não é possível estabelecer uma relação entre sua morte e o novo coronavírus que já provocou 213 vítimas fatais na China, a grande maioria em Wuhan e sua região.
Homem usa uma garrafa de água de plástico com um recorte para cobrir o rosto, em Hong Kong em 31 de janeiro de 2020 - Anthony Wallace / AFP


A quarentena imposta em Wuhan na semana passada e a proibição de tráfego de carros esvaziaram as ruas, o que explica o relativo anonimato da pessoa encontrada morta.

Um correspondente da AFP viu o corpo na manhã de quinta-feira diante de uma loja de móveis. Policiais e membros do serviço de emergência, com trajes de proteção, chegaram pouco em seguida.

O homem morreu a poucos metros do hospital número 6 de Wuhan, um dos principais centros médicos reservados ao tratamento de pessoas afetadas pelo vírus.

A polícia e as autoridade de saúde locais, procuradas pela AFP, não apresentaram respostas sobre as condições da morte.

Depois de examinar os corpos, os médicos colocaram um lençol azul sobre o corpo.

Policiais visivelmente nervosos cercaram o corpo com caixas de papelão para impedir a visão até a chegada dos legistas.
Após o exame, os agentes retiraram os trajes de proteção e receberam um produto desinfectante.
"É terrível", disse uma moradora, ao relatar que os médicos, muito ocupados, não conseguiram atender a vítima de forma imediata. "Muitas pessoas morreram nos últimos dias", afirmou.

A mulher, muito afetada, impediu que um homem se aproximasse do corpo, alegando que a causa do óbito poderia ser o novo coronavírus.

Um homem que fumava perto do local foi obrigado pela polícia a apagar o cigarro e a colocar uma máscara, como é obrigatório na cidade há vários dias. Ele obedeceu de maneira imediata.

As autoridades chinesas adotaram medidas drásticas para conter a propagação do vírus. O governo comunista determinou o isolamento de mais de 50 milhões de pessoas em Wuhan e na província de Hubei (centro).

O governo está construindo dois novos hospitais que, em tese, devem ser inaugurados na próxima semana para absorver o fluxo de pacientes.

No período de pouco mais de duas horas no local do incidente, o correspondente da AFP viu pelo menos 15 ambulâncias nas ruas, em resposta a pedidos de socorro.

Depois de permanecer na calçada por mais de duas horas, o corpo foi levado em uma maca até um veículo especial.

Em seguida, os policiais e a equipe médica iniciaram a limpeza do local em que o cadáver foi encontrado.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Franceses em avião de evacuação com destino ao sudeste da França, antes da partida do Aeroporto de Wuhan (WUH), China Hector Retamal / AFP
Homem usa uma garrafa de água de plástico com um recorte para cobrir o rosto, em Hong Kong em 31 de janeiro de 2020 Anthony Wallace / AFP

Comentários