Para coibir violência, El Salvador permite que militares matem membros de gangue

Segundo autoridades, 12.862 integrantes de gangues estão detidos em prisões salvadorenhas

Por IG - Último Segundo

Presidente de El Salvador, Nayib Bukele
Presidente de El Salvador, Nayib Bukele -

São Paulo - No último domingo, na tentativa de diminuir a onda de violência que aumentou em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2), o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, autorizou o uso da força letal por parte da polícia militar contra membros de gangue. 

"A polícia e as forças armadas devem priorizar a proteção de suas vidas, as de seus companheiros e aos de cidadãos honestos", afirmou o presidente. "O uso de força letal está autorizado em legítima defesa ou na defesa da vida de salvadorenhos".

O país centro-americano registrou 24 homicídios na última sexta-feira, o pior número alcançado desde que Bukele assumiu, em 2019. No último domingo, houve mais 29 assassinatos, e Bukele endureceu as medidas contra as gangues, que, segundo ele, estariam se aproveitando da pandemia do novo coronavírus.

Segundo autoridades, 12.862 integrantes de gangues estão detidos em prisões salvadorenhas. 

Comentários