Governador de Washington abre investigação sobre morte de homem negro sob custódia policial

Manuel Ellis repetia diversas vezes que não conseguia respirar enquanto era imobilizado por um agente da polícia de Washington

Por AFP

Manuel Ellis repetia diversas vezes que não conseguia respirar
Manuel Ellis repetia diversas vezes que não conseguia respirar -
Estados Unidos - O governador do estado de Washington (oeste dos Estados Unidos) anunciou nesta quarta-feira uma investigação relacionada à morte por asfixia de um homem negro sob custódia policial, semelhante à de George Floyd, que provocou protestos em massa em todo o país.

"Tem que haver uma nova investigação e ações de acusação independentes do condado de Pierce", que abrange Tacoma, onde o incidente ocorreu em 3 de março, afirmou o governador Jay Inslee em um comunicado.

A decisão foi tomada depois que um vídeo gravado por uma câmera de segurança residencial mostra Manuel Ellis, 33 anos, chorando enquanto é algemado pela polícia.

Um pedestre também gravou em vídeo parte da prisão.

"O que está claro nesse vídeo não é apenas o fato de Manny Ellis dizer 'não consigo respirar'", disse o advogado da família James Bible em entrevista coletiva na terça-feira.

"O que vimos é que ele disse: 'Não consigo respirar, senhor. Não consigo respirar, senhor. Não consigo respirar, senhor.' ... Um sinal claro de que não é apenas uma luta para respirar, mas uma tentativa de ser respeitoso nos últimos momentos da vida. Um sinal de que ele não era a pessoa agressiva que a polícia disse que era".

O prefeito de Tacoma, 56 km ao sul de Seattle, pediu que os policiais envolvidos na prisão fossem demitidos e processados.

Ellis morreu de parada respiratória devido a hipóxia e restrição física, destacou o legista, acrescentando que a presença de metanfetaminas em seu organismo e doenças cardíacas também podem ter contribuído para a morte.

A decisão de Inslee de iniciar uma nova investigação sobre este caso coincide com os recentes protestos nacionais contra a brutalidade policial e o racismo desencadeados pela morte de Floyd, quando também estava sob custódia policial em Minnesota, em 25 de maio.

Os quatro policiais que participaram da retenção de Ellis - que foram colocados em licença administrativa - disseram que o detiveram depois que ele supostamente tentou "abrir as portas de veículos ocupados".

Eles indicaram que ele morreu após uma briga física que os forçou a imobilizá-lo.

Comentários