Depois de uma primeira onda que causou 30 mil mortes, a França vive atualmente uma segunda onda da epidemia de coronavírus  - AFP
Depois de uma primeira onda que causou 30 mil mortes, a França vive atualmente uma segunda onda da epidemia de coronavírus AFP
Por AFP
Paris - A França contempla reduzir o tempo de isolamento domiciliar das pessoas com covid-19, depois que o conselho de cientistas que assessora o governo emitiu uma opinião "favorável".

"O Conselho Científico é favorável à redução do período de isolamento em uma série de situações e passar de 14 a 7 dias", afirmou o ministro francês da Saúde, Olivier Véran.

"O contágio é maior nos cinco primeiros dias e depois diminui. Após uma semana continua presente, mas é muito reduzido", argumentou o ministro.

O objetivo da medida, explicou Véran, é obter um maior respeito do isolamento, pois "atualmente constatamos que muitos franceses não respeitam o isolamento de 14 dias".

A decisão será tomada formalmente na sexta-feira.

O vírus continua circulando ativamente na França. 68 dos 101 departamentos do país são considerados em situação de vulnerabilidade moderada ou alta.

Nas últimas 24 horas foram registrados mais de 4 mil  novos contágios. A epidemia provocou mais de 30.000 mortes na França.