Karlie Staples denunciou Peter Snodgrass e ele foi para a cadeia - Reprodução
Karlie Staples denunciou Peter Snodgrass e ele foi para a cadeiaReprodução
Por iG
Publicado 17/09/2020 13:53 | Atualizado 17/09/2020 14:49
A australiana Karlie Staples, de 29 anos, descobriu que um quiroprático (pessoa que trabalha com métodos alternativos e sem remédios para ajustes na coluna vertebral) estava filmando escondido mulheres que ele atendia com uma caneta espiã. Peter Snodgrass pedia para as pacientes ficarem nuas e fazia as gravações. Ele teve 216 vítimas – incluindo meninas de 11 anos.
Tudo começou quando Karlie e sua mãe estavam no supermercado e viram Peter divulgado consultas gratuitas de quiropraxia. Mãe de três filhos, a australiana ficou interessada porque sentia dores na coluna.
Publicidade
“Minha mãe também tem problemas nas costas, então fomos bater um papo. O quiroprático, Peter Snodgrass, era muito alegre e amigável. Ele disse: ‘Tenho certeza de que poderia ajudar vocês duas’. Então, felizmente, reservamos uma sessão. Quando nos afastamos ainda falei para a minha mãe: ‘Que homem bom e genuíno’”, contou a Karlie em entrevista ao The Sun.
Uma semana depois, mãe e filha foram para a consulta, chegando lá Peter pediu para ela tirar toda a roupa para fazer um raio-X, foi então que ela viu uma caneta com uma luz vermelha piscando, ela pegou o objeto e entendeu do que se tratava.
Publicidade
“Peguei e vi duas lentes minúsculas e dois orifícios de áudio. Eu pensei horrorizada: ‘É uma câmera espiã! Ele acabou de me filmar nua!’. Fiquei me perguntando se ele ia me estuprar. Eu estava absolutamente apavorada. Rapidamente, abri a caneta e vi que tinha um cartão de memória SD dentro, então eu sabia que realmente tinha sido gravado”, contou.
Sem saber o que fazer Karlie, escondeu a caneta e foi para a recepção atrás da mãe e contou o que tinha descoberto. Peter apareceu e a chamou para a massagem, com medo, ela acabou indo. Quando estava deitada, com a filha bebê ao lado em um carrinho, ela viu o homem vasculhando a bolsa de fralda da criança e, furiosa, disse: “O que você está fazendo? Você está procurando por algo? Você quer aquele dispositivo de gravação, não é?”.
Publicidade
Com a gritaria, outra cliente surgiu e tentou defendê-lo. Foi então que Peter agarrou o braço de Karlie e eles se enfrentaram. Ele acabou pegando a caneta e tirando o cartão de memória. A polícia foi chamada e a australiana contou o que aconteceu.
Caso foi parar na Justiça
Publicidade
Poucos dias depois, os detetives foram à casa da vítima e contaram que eles vasculharam os locais de atendimento e a casa de Peter e encontraram outras câmeras e várias fotos e vídeos. “Ele teve centenas de vítimas. Peter havia filmado mulheres e meninas, algumas de apenas 11 anos. Algo repugnantemente porque ele é pai de três adolescentes. Eu senti pena deles.”
Peter enfrentou 157 acusações por filmar secretamente as mulheres, além 50 acusações de fazer pornografia infantil e de posse de pornografia infantil. Ele foi julgado e pegou mais de 10 anos de prisão.