Itália vê casos de coronavírus crescerem no país - AFP
Itália vê casos de coronavírus crescerem no paísAFP
Por AFP
Publicado 13/10/2020 09:39 | Atualizado há 3 dias
Roma - A Itália anunciou, nesta terça-feira, novas medidas restritivas para frear o aumento de casos de coronavírus, que incluem a proibição de festas privadas e horários mais rígidos para bares e restaurantes.
O decreto, assinado pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte e que estará em vigor por 30 dias, proíbe festas e celebrações tanto ao ar livre como em locais fechados e limita o número de convidados em casas privadas a seis.
Publicidade
Os esportes de contato para amadores, como futebol ou basquete, também ficam proibidos.
Os bares e restaurantes não poderão atender os clientes que não tenham uma cadeira no estabelecimento após 21h00 locais. Trata-se de um dispositivo contra as atitudes dos mais jovens, devido aos elevados riscos de contágio.
Publicidade
O decreto foi assinado durante a madrugada após uma série de observações e negociações com as autoridades das várias regiões do país, preocupadas com as consequências econômicas de restrições rígidas.
A Itália, que registrou mais de 36.000 mortes desde o início da pandemia, entrou na segunda fase com restrições mais específicas, com o objetivo de evitar o confinamento total devido ao aumento de casos na última semana.
Publicidade
O país registrou na segunda-feira 4.619 novos casos em 24 horas, um número comparável aos de abril, quando a pandemia devastava o norte da península, mas muito inferior às taxas de contágio observadas atualmente na França ou Espanha.
O decreto foi aceito pelos governadores das regiões, que são os responsáveis pela gestão da saúde, mas o chefe de Governo do país advertiu que não descarta adotar medidas ainda mais coercitivas no futuro se a situação ficar mais grave.
Publicidade
Casamentos e batizados terão no máximo 30 convidados e o uso da máscara, mesmo ao ar livre, permanece obrigatório em todo o país.
O protocolo de saúde vinculado à quarentena por casos de contato e o isolamento dos casos positivos foi modificado.
Publicidade
Até agora, em caso de teste positivo para o coronavírus, a regra era cumprir 14 dias de isolamento até a obtenção de dois testes negativos para que a pessoa fosse autorizada a sair de casa.
A quarentena caiu par 10 dias e será suficiente apresentar apenas um teste negativo para considerar que a pessoa está curada.