Morador de San Pedro Cholula mantém tradição viva - PEDRO PARDO/AFP
Morador de San Pedro Cholula mantém tradição vivaPEDRO PARDO/AFP
Por AFP
Milhares de famílias mexicanas celebram o Dia dos Mortos a partir deste domingo (1º), a tradição mais significativa do país, com fortes restrições e em luto pela pandemia que já deixou cerca de 92 mil mortos.
Os cemitérios, que costumam ficam lotados nessas datas, estão fechados, enquanto vários eventos foram cancelados para evitar o aumento das infecções por coronavírus, que já são mais de 900 mil.
Publicidade
A Cidade do México ficou sem seu habitual desfile de caveiras sorridentes e fantasias multicoloridas. Tampouco se vê gente vestida de catrinas, os elegantes esqueletos típicos da festa, que vai até segunda-feira.
Em vez disso, muitas famílias se lembram daqueles que faleceram na privacidade de suas casas.
Publicidade
"Talvez na hora veja com dor, mas agora começo a ver como uma alegria, que o Dia dos Mortos representa na realidade", diz Janet Burgos, 41, à AFP. Junto com seus irmãos, ela fez uma oferenda em memória de sua mãe Rosa María, que morreu em junho aos 64 anos, presumivelmente de covid-19.
Primeira oferenda
Publicidade
Segundo a tradição mexicana, durante o Dia dos Mortos as almas voltam para casa para conviver com seus familiares, que preparam oferendas com fotos, flores coloridas de calêndula e suas bebidas e comidas favoritas, além do "pão dos mortos".
"Vai ser o primeiro ano em que vamos fazer uma oferenda e ainda para minha mãe, porque todos os anos era ela que fazia", diz Nelly, 47, a outra filha de Rosa María. "Para a primeira vez (...) até que ficou muito bonito".
Publicidade
Tradicionalmente, as famílias visitam seus entes queridos nas sepulturas e levam música, comida e bebidas.
O coronavírus já havia alterado os rituais fúnebres. Famílias como a de Rosa María não puderam celebrar os velórios e, em muitos casos, os corpos foram direto do hospital para o crematório.
Publicidade
Por isso, as oferendas do Dia dos Mortos deste ano se tornaram um consolo para aqueles que não tiveram a chance de se despedir por conta do vírus.
Luto nacional
Publicidade
O governo do presidente Andrés Manuel López Obrador decretou três dias de luto nacional pelas vítimas da Covid-19 no México, um país de 129 milhões de habitantes e o quarto mais afetado pela doença.
Em uma cerimônia no sábado, o primeiro dia de luto, López Obrador dedicou uma oferenda no Palácio Nacional com a bandeira a meio mastro.
Publicidade
As autoridades da Cidade do México, por sua vez, criaram um site para que as famílias possam compartilhar imagens de seus altares.