Por AFP
Haia, Holanda - Um professor de uma escola de Rotterdã foi ameaçado por apresentar em sala de aula a charge de um homem decapitado, mostrando a língua para um jihadista.

No desenho, assinado por Joep Bertram, o personagem veste uma camiseta com a imagem do semanário francês "Charlie Hebdo", alvo de ataques de jihadistas por ter publicado cartuns de Maomé.

Na segunda-feira, as alunas muçulmanas do Emmauscollege - que naquele dia homenageou o professor de francês Samuel Paty, assassinado em outubro perto de Paris após mostrar as charges de Maomé a seus alunos - se ofenderam com o desenho, chamando-o de "blasfêmia", de acordo com o jornal NRC.

Uma foto do desenho foi amplamente compartilhada no Instagram.

"Se isso não for removido muito rapidamente, vamos lidar com isso de forma diferente", escreveu um internauta.

A Promotoria e as forças da ordem levaram as ameaças on-line "muito a sério", disse a polícia no Twitter, acrescentando que uma investigação foi lançada para encontrar os autores da mensagem.
Como resultado dessas ameaças, o professor, cuja identidade não foi divulgada, foi obrigado a "se esconder", informou o jornal NRC.

"O assédio e as ameaças contra os professores não podem ser tolerados sob nenhuma circunstância e nos opomos fortemente a isso", declarou o ministro da Educação, Arie Slob, em uma carta ao Parlamento.