O ataque ocorre apenas três dias após o atentado na Basílica de Notre-Dame de Nice - VALERY HACHE / AFP
O ataque ocorre apenas três dias após o atentado na Basílica de Notre-Dame de NiceVALERY HACHE / AFP
Por AFP
Paris, França - O tunisino que matou três pessoas, incluindo um brasileira, em um ataque islâmico em uma igreja em Nice (sul da França) em outubro, foi indiciado nesta segunda-feira (7) por assassinato em relação com uma organização terrorista e preso.

Brahim Aoussaoui, de 21 anos, ficou ferido durante sua prisão e, por isso, estava hospitalizado. Pouco depois deu positivo para a covid-19.

Mas seu estado de saúde melhorou nos últimos dias e ele foi interrogado por um juiz de instrução que ditou sua acusação e ordenou sua prisão.

Aoussaoui chegou à França dois dias antes de cometer o ataque, após cruzar o Mediterrâneo até a ilha italiana de Lampedusa.

Em 29 de outubro, apareceu armado com uma faca na basílica de Nice, onde esfaqueou uma mulher e o sacristão.

A terceira vítima, uma brasileira de 44 anos, conseguiu fugir gravemente ferida, mas morreu pouco depois.

O ataque ocorreu menos de duas semanas depois que um professor de História foi decapitado em um subúrbio de Paris por ter mostrado caricaturas do profeta Maomé em uma aula sobre liberdade de expressão.