Michelle Bachelet - AFP
Michelle BacheletAFP
Por AFP
A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, declarou nesta quarta-feira (9) que Joe Biden, o presidente recém-eleito dos Estados Unidos, dá-lhe "muita esperança" de que a situação dos direitos em seu país e no mundo vai melhorar.
Em sua entrevista coletiva anual para marcar o final do ano, Bachelet expressou seu otimismo, após "uma série de promissores compromissos" por parte de Biden.
Publicidade
O democrata ressaltou sua vontade de apoiar o Programa de direitos dos jovens migrantes, suas promessas de aumentar o número de infraestruturas para refugiados, pôr fim à separação familiar, apoiar os direitos à saúde sexual e reprodutiva, assim como de se concentrar na erradicação do racismo sistêmico e na proibição da tortura.
"Estou muito feliz por todos esses compromissos (...) Para os direitos humanos, acho que será muito melhor. Tenho muita esperança nesse sentido", afirmou Bachelet.
Publicidade
A alta comissária também destacou as promessas de Biden de reverter a retirada dos Estados Unidos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de se reintegrar ao Acordo de Paris sobre o Clima.
Se concretizadas - completou -, "terão um impacto muito positivo sobre os direitos humanos nos Estados Unidos e no mundo".
Publicidade
"Espero com impaciência para a renovação do compromisso dos Estados Unidos com as organizações multilaterais", insistiu.
Bachelet disse que ainda não se encontrou com Joe Biden desde sua eleição, mas esclareceu que conhece bem, desde a época em que ele era vice-presidente dos EUA, e ela, presidente do Chile.
Publicidade
Bachelet expressou ainda a esperança de que "também possa reverter as políticas aplicadas durante o governo Trump, que causaram graves retrocessos em termos de direitos humanos, incluindo os das mulheres, das pessoas LGBT, de migrantes e jornalistas".