Nicolás Maduro, orientou que sua diplomacia atendesse ao pedido do governo do Amazonas para liberar uma carga de oxigênio hospitalar da White Martins produzida no país - AFP
Nicolás Maduro, orientou que sua diplomacia atendesse ao pedido do governo do Amazonas para liberar uma carga de oxigênio hospitalar da White Martins produzida no paísAFP
Por AFP
Caracas, Venezuela - O governo da Venezuela anunciou que irá retomar na próxima segunda-feira seu plano de confinamento parcial devido à pandemia de Covid-19, após relaxar o controle em dezembro.

"O presidente Nicolás Maduro, em atenção ao desenvolvimento epidemiológico da Covid-19 no mês de dezembro, decidiu retomar o esquema 7+7, com o início da quarentena radical à meia-noite de 4 de janeiro, até o dia 10", tuitou hoje a vice-presidente do país, Delcy Rodríguez.

O plano "7+7" alterna sete dias de "quarentena radical", quando todo o comércio é obrigado a fechar, salvo o essencial, com sete dias de "flexibilização", em que a retomada das atividades é permitida. O governo começou a aplicá-lo em junho e o manteve até dezembro, quando Maduro relaxou o controle para o Natal, incluindo o toque de recolher imposto aos municípios fronteiriços.

O presidente socialista alertou para "um aumento leve, mas significativo", das infecções em dezembro, encerrado com quase 11 mil novos casos e 127 mortos, segundo cifras oficiais, questionadas pela oposição e por organizações como a Human Rights Watch.

O país acumula 113.558 casos da doença e 1.028 mortos, segundo o balanço oficial. A pandemia afeta a Venezuela em meio a uma crise econômica que dificulta o confinamento, uma vez que oito em cada 10 famílias não possuem renda suficiente para comprar a cesta básica, segundo um estudo acadêmico.