Manifestantes também criticaram as políticas contra à pandemia de Emmanuel Macron
Manifestantes também criticaram as políticas contra à pandemia de Emmanuel Macron Reprodução
Por IG - Último Segundo
A manifestação do Dia do Trabalho, na França, terminou em confronto entre policiais e manifestantes na tarde deste sábado. Em Paris, latas de lixo foram incendiadas e janelas de banco quebradas.
Na capital, 17 mil pessoas foram às ruas protestar contra as alterações em benefícios do seguro-desemprego. Parte do grupo pedia para voltar a trabalhar após as medidas de restrição no país para conter a pandemia de covid-19.
Publicidade
A partir de segunda-feira, a França irá iniciar a fase de transição e liberar o funcionamento de parte dos estabelecimentos, após conseguir frear a contaminação da doença.
O Ministério do Interior afirmou que os confrontos deixaram três policiais feridos e 46 pessoas presas. O governo estima que, em todo o país, 106 mil manifestantes participaram da concentração.
Publicidade
Os protestos ainda contaram com a participação de opositores ao presidente Emmanuel Macron. Marine Le Pen, que deve concorrer com Macron as eleições de 2022, afirmou à imprensa francesa que se ele for reeleito o país entrará em “caos total”.
Jean-Luc Melenchon, líder da extrema-esquerda, participou do ato em Lille e afirmou desejar o “fim do desemprego”.

Veja imagens do confronto 

Publicidade
Gallia Daily:
"Tension in front of a bank between communists and riot police (Paris)"https://t.co/CZ7KrIeFYV pic.twitter.com/p9rimLuZQm
— (NOT) Regulus (@NotRegulus) May 1, 2021
INSURREIÇÃO FRANCESA- Milhares de franceses nas ruas do país em protesto contra as medidas sanitárias e as políticas de imigração de Macron. A França está a beira de uma guerra civil e 8.000 mil militares já assinaram uma carta de aviso sobre os conflitos. Macron está ferrado! pic.twitter.com/AoVMYZMd4H
— D.Wurzell (@multeffect) May 1, 2021