Para Trump, taxa de mortalidade do novo coronavírus deve ser menor que 1%

Presidente dos EUA acredita que muitos pacientes não reportam aos hospitais quando ficam curados da doença

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Em visita ao CDC, presidente dos Estados Unidos, Dondald Trump, mostra imagem do coronavírus
Em visita ao CDC, presidente dos Estados Unidos, Dondald Trump, mostra imagem do coronavírus -
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu, em entrevista à Fox News, a tese de que a taxa de mortalidade do novo coronavírus no país, atualmente em torno de 1,3%, deve estar, na verdade, abaixo de 1%. Para ele, isso ocorre porque muitos pacientes não reportam aos hospitais quando ficam curados da doença.

Trump também falou sobre a situação do surto em Nova Iorque, epicentro da pandemia nos EUA. Na avaliação dele, a gestão do governador democrata Andrew Cuomo tem culpa porque, em 2015, se recusou a comprar novos aparelhos de respiração para os hospitais. "Ele teve a chance de comprar 15 mil aparelhos por um preço muito baixo, mas rejeitou", criticou.

O cirurgião geral dos EUA, Jerome Adams, que também participou da entrevista, informou que, de todas as pessoas que realizaram testes para coronavírus, 10% foram diagnosticadas com a doença.

Do total de infectados, 99% se recuperam, ainda de acordo com ele.

Adams garantiu que o governo está trabalhando para que profissionais de saúde tenham acesso a materiais médicos para o tratamento.

Já a coordenadora da resposta ao novo coronavírus da Casa Branca, Deborah Birx, pediu aos americanos que apenas façam teste para a Covid-19 se apresentarem sintomas. "Nem todo mundo precisa ser testado", disse.

Galeria de Fotos

Paralisação começou porque Trump que aprovar um orçamento para a construção de um muro na fronteira com o México France Press
Donald Trump AFP
Em visita ao CDC, presidente dos Estados Unidos, Dondald Trump, mostra imagem do coronavírus AFP

Comentários