Solís é eleito presidente da Costa Rica

A vitória do historiador é a primeira de candidato de um terceiro partido (Ação Cidadã, centro-esquerda) em décadas

Por bruno.dutra

San José - O opositor Luis Guillermo Solís prometeu no domingo uma luta contra a corrupção e a favor do desenvolvimento com equidade, ao proclamar uma "era de mudança" na Costa Rica após a vitória na eleição presidencial com o resultado histórico de 78% dos votos.

"A Costa Rica decidiu mudar. Pretendo, como presidente, fazer valer a mudança que o povo demanda", disse o historiador e acadêmico de 55 anos.

Com um tom conciliador, Solís traçou as diretrizes do futuro governo do Partido Ação Cidadã (PAC, centro): transparência na administração dos recursos públicos, crescimento econômico com equidade, prosperidade e tolerância. Solís recebeu o recorde 1,3 milhão de votos, após a apuração de 96% das urnas, contra um candidato "fantasma", o ex-prefeito de San José Johnny Araya, do governista Partido Liberação Nacional (PLN), que há duas semanas abandonou a campanha em função das pesquisas que indicavam uma derrota humilhante.

O resultado superou com folga a meda de um milhão de votos com a qual Solís buscava legitimar seu governo e neutralizar a abstenção esperada por falta de disputa. A abstenção chegou a 43% dos 3,1 milhões de eleitores registrados, o maior resultado na história do país.

"Reconhecemos a vontade clara e contundente do povo da Costa Rica, com humildade e respeito", disse Araya. O nome de Johnny Araya aparecia na cédula de votação porque a lei proíbe a desistência da candidatura.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia