ONU abre investigação sobre ofensiva israelense em Gaza

Iniciada em 8 de julho e seguida por intervenção terrestre que começou na última quinta-feira, ação já provocou a morte de 670 palestinos

Por bruno.dutra

Genebra - O Conselho de Direitos Humanos da ONU abriu nesta quarta-feira uma investigação sobre a ofensiva militar israelense em Gaza, que em pouco mais de duas semanas fez mais de 670 mortos palestinos.

O Conselho adotou uma resolução que prevê esta investigação com 29 votos a favor (países árabes e muçulmanos, latino-americanos e africanos, assim como Rússia e China). Estados Unidos votou contra e os países europeus se abstiveram.

Anteriormente, a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, pediu uma investigação sobre possíveis crimes de guerra israelenses em Gaza, ao mesmo tempo em que denunciou ataques indiscriminados do movimento islamita palestino Hamas contra zonas civis de Israel.

"Existe uma alta possibilidade de que o direito humanitário internacional tenha sido violado, o que pode constituir crimes de guerra", disse Pillay, citando como exemplo a destruição de casas e os civis mortos na Faixa de Gaza, entre eles crianças.

A Alta Comissária pediu uma investigação sobre cada um destes crimes.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia