Por lucas.cardoso
Publicado 18/02/2016 22:30 | Atualizado 18/02/2016 22:39

Rio - O Papa Francisco disse na tarde desta quinta-feira, que o pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump, não pode ser cristão. Após ser chamado de "político" pelo magnata, o pontífice da Igreja Católica fez criticas ao posicionamento do republicano quanto as questões de imigração.

"Uma pessoa que pensa apenas em construir muros, onde quer que seja, e não em construir pontes, não é um cristão", disse Francisco em resposta a pergunta sobre o posicionamento de Donald. O pré-candidato republicano à Presidência, ao responder aos comentários do Papa Francisco, rebateu, dizendo que o líder da Igreja desejaria que ele fosse presidente se o Estado Islâmico atacasse o Vaticano.

'Papa deveria rezar para eu salvar Vaticano do EI'%2C rebate Trump sobre não ser cristãoReprodução Internet

"Todos sabem que o objetivo final do Estado Islâmico é atacar o Vaticano. O Papa deveria rezar para que Trump se torne presidente para que isto não aconteça", disse Trump em discurso na Carolina do Sul, usando uma das siglas pelas quais o grupo militante é conhecido.

Trump, que vem liderando várias pesquisas de intenção de voto nos Estados Unidos, disse que gostaria de construir um muro na fronteira do país e que deportaria cerca de 10 milhões de imigrantes.

O magnata também já se envolveu em uma série de polêmicas devido às suas declarações de caráter xenofóbico. Questionado sobre se os eleitores norte-americanos deveriam eleger Trump, o Papa tentou se esquivar, mas não deixou de se posicionar ao pré-candidato. "Não vou me intrometer. Só digo que este homem não é cristão por dizer estas coisas. Precisa ver se ele disse realmente isso ou não. Dar o benefício da dúvida", comentou Francisco.

Nesta semana, Trump chegou a criticar o Papa, dizendo que o considerava um homem "muito politizado" para liderar a Igreja Católica. Mas Francisco também rebateu a acusação. "Graças a Deus que ele disse que sou um político, porque Aristóteles define a pessoa humana como 'animal politico', ou seja, sou humano. Sobre eu ser um 'peão', talvez eu seja, talvez não. Deixo para o povo julgar", disse o Papa.

Com informações da ANSA

Você pode gostar