Coreia do Sul anuncia sanções contra Coreia do Norte por causa de teste nuclear

Entre as penalidades, está a proibição de transações financeiras a 38 indivíduos e 24 empresas

Por rafael.souza

Seul - A Coreia do Sul anunciou nesta terça-feira novas sanções contra a Coreia do Norte por causa de seu recente teste nuclear e lançamento de um foguete. Entre as sanções, está a proibição de transações financeiras a 38 indivíduos e 24 empresas.

O anúncio foi feito um dia depois da Coreia do Norte ter ameaçado executar "ataques preventivos" contra Washington e Seul em reação à mais recente manobra militar anual conjunta que os países iniciaram nesta segunda-feira, com término em abril, e que a Coreia do Norte acusa de serem "treinos de invasão". Esta é a maior operação conjunta já realizada entre os países.

Segundo Seul, uma empresa Cingapura, uma de Taiwan, seis entidades de Mianmar, e outras da Tailândia, além de outros países, também serão sancionados por terem ajudado indiretamente a Coreia do Norte, disse o governo sul-coreano em declaração, afirmando que os sul-coreanos serão impedidos de se envolverem nos mercados financeiro e cambial com organizações presentes na lista negra.

A Coreia do Sul também anunciou que vai proibir a entrada de qualquer navio que parou no porto norte-coreano nos últimos 180 dias. Atualmente, apenas navios norte-coreanos são proibidos. O governo disse ainda que irá continuar a aconselhar os cidadãos sul-coreanos a não comerem em restaurantes norte-coreanos ao redor do mundo. A Coreia do Norte opera cerca de 130 restaurantes na China e em outros países.

Segundo uma autoridade sul-coreana, os restaurantes são uma fonte de moeda estrangeira que é suspeita de estar ligada ao desenvolvimento de armas de destruição em massa no Norte. Ele não deu mais detalhes.

Também nesta terça-feira, a agência de espionagem de Seul acusou a Coreia do Norte de ter invadido os smartphones de dezenas de importantes autoridades sul-coreanas, roubar mensagens de texto e de voz e suas chamadas telefônicas. O Serviço Nacional de Inteligência disse que os ataques cibernéticos ocorreram entre o final fevereiro e início de março. A agência não disse quais autoridades tiveram as informações roubadas.

Ainda não se sabe o quanto essas novas sanções irão impactar a Coreia do Norte, que já tem sido atingida pelas sanções internacionais por causa de seu programa nuclear e programas de mísseis. O Conselho de Segurança da ONU na semana passada aprovou a sua mais difícil sanção contra a Coreia do Norte em duas décadas.

Em resposta, a Coreia do Norte descreveu as novas sanções como "nada de novo", mas alertou que tomaria "passos impiedosos".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia