ONU propõe a governo e oposição reconstruir exército sírio com rebeldes

Documento foi entregue por mediador da entidade à delegações do governo sírio e da oposição

Por rafael.souza

Genebra - O mediador da Organização das Nações Unidas (ONU) no processo de paz sírio, Staffan de Mistura, apresentou às delegações do governo e da oposição um documento de princípios comuns no qual propõe, entre outros temas, a reconstrução de um exercito nacional que integre ex-combatentes rebeldes.

O texto rejeita o terrorismo e pede aos Estados para que não facilitem armamento, forneçam treinamento, incitem atos terroristas ou financiem esses grupos. O documento foi redigido por De Mistura, que pediu às delegações para que o analisem, ao final do dia de hoje. O objetivo é que durante o recesso das negociações, que voltam em abril, eles façam as consultas necessárias para determinar os pontos de consenso.

O texto de 12 pontos menciona o respeito à soberania da Síria, a sua independência e a sua integridade territorial, após ressaltar que "uma regulação política é o único caminho para conseguir a paz". Além disso, reconhece que o povo sírio é o único que deve decidir, por meios democráticos, sobre o futuro do país, que deve ser não sectário, baseado no pluralismo político e no qual "não serão toleradas" as tentativas de revanche contra indivíduos ou grupos.

De Mistura também coloca a necessidade de possibilitar o retorno dos deslocados e refugiados que desejem em condições seguras.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia