Mulher é impedida de embarcar em voo por conta de 'short muito curto'

Ela havia pego outro avião no mesmo dia sem sofrer nenhum problema. Dançarina acusou companhia aérea de sexismo

Por clarissa.sardenberg

Estados Unidos - Uma americana foi impedida de embarcar em um voo da JetBlue porque a tripulação da companhia considerou seu short muito curto. A dançarina burlesca Maggie McMuffin se preparava para deixar Boston e seguir para Seattle, nos Estados Unidos, mas lhe foi dito que precisaria trocar de roupa para fazê-lo. O episódio ocorreu na última semana e viralizou nesta terça-feira ao ser destacado na imprensa internacional. 

"Eles precisam parar de ser sexistas e julgarem as pessoas pelo que vestem", afirmou Maggie à emissora "Kiro 7." "Disseram que foi a palavra final do piloto então essas não são regras oficiais", disse sobre o caso da última quarta-feira.

Dançarina foi barrada em voo nos EUA para seu short não 'escandalizar' famílias Reprodução Facebook

Como ela não tinha outro traje, foi obrigada a comprar um novo short no aeroporto. Maggie contou que havia viajado de Nova York para Boston no mesmo dia, sem enfrentar nenhum empecilho e que, no momento que tentava embarcar, ainda disse que poderia amarrar um cobertor em volta da cintura, mas que a tripulação não permitiu.

A companhia JetBlue liberou uma declaração em que se manifesta dizendo que após "avaliarem" o short da dançarina concluíram que "poderia ofender as famílias no voo." Ela foi reembolsada pelo valor que pagou na peça e ganhou crédito de 200 dólares em voos da aérea.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia