Justiça da Áustria anula eleições por fraude na apuração

A repetição das eleições, com os mesmos candidatos, deve ser realizada no fim de setembro ou começo de outubro

Por felipe.martins , felipe.martins

Áustria - O Tribunal Constitucional da Áustria ordenou nesta sexta-feira a repetição completa em todo o país do segundo turno das eleições presidenciais de 22 de maio por irregularidades na apuração. O resultado foi questionado pelo ultranacionalista Partido Liberal da Áustria (FPÖ), cujo candidato, Norbert Hofer, havia perdido por apenas 30 mil votos de diferença contra o ecologista Alexander Van der Bellen — 50,3% contra 49,7%. A repetição das eleições, com os mesmos candidatos, deve ser realizada no fim de setembro ou começo de outubro.

O presidente do Tribunal, Gerhart Holzinger, manifestou ao anunciar a decisão que as eleições “são o fundamento da democracia e é dever do Tribunal manter em funcionamento esse fundamento”. “Ninguém é perdedor e ninguém é ganhador. Só temos um objetivo: fortalecer a confiança no Estado de Direito e na democracia”, explicou o juiz.

O FPÖ e seu líder, Heinz Christian Strache, tinham denunciado longa série de irregularidades na apuração. O Alto Tribunal interrogou 90 testemunhas. Muitos mesários reconheceram que não foi cumprida ao pé da letra a lei eleitoral, sobretudo na forma de contar os votos depositados por correio. “Tenho a intenção de ganhar pela segunda vez”, afirmou o ecologista Alexander Van der Bellen.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia