Facebook reconhece ter inflado dois anos de estatísticas de consumo de vídeos

Dado é extremamente relevante para o lucro com anunciantes na plataforma, mas Zuckerberg afirma que não afetou faturamento bilionário

Por clarissa.sardenberg

Estados Unidos - O Facebook inflou o tempo médio de visualização dos anúncios em vídeo durante dois anos e não levou em conta aquelas peças que duraram menos de três segundos. A rede social de Mark Zuckerberg emitiu um comunicado dizendo que foi um erro de cálculo em suas estatísticas e não mencionou nada sobre fraude. Esse dado é extremamente relevante para o lucro com anunciantes na plataforma.

Rede social de Mark Zuckerberg emitiu um comunicado dizendo que foi um 'erro de cálculo em suas estatísticas'Reprodução Internet

Somente no último trimestre, o ganho foi de US$ 6,24 bilhões (cerca de R$ 20,04 bilhões) em publicidade, 63% a mais que no mesmo período de 2015. O jornal "Wall Street Journal" havia antecipado a notícia. 

"Recentemente descobrimos um erro na forma de calcular uma de nossas estatísticas de vídeo. O erro foi resolvido, não afetou o faturamento e informamos a nossos parceiros. (...) Esta estatística é uma das muitas que nossos parceiros utilizam para planejar suas campanhas de vídeo", informa o comunicado da companhia.

De acordo com o Facebook, o número de consumo de vídeos na plataforma subiu consideravelmente nos últimos anos. O aumento de usuários ativos por trimestre a trimestre (1,710 bilhão de membros ativos por mês) e do tempo gasto na rede também tem influência na atividade publicitária.

O reconhecimento de que a rede social falhou no cálculo da estatística de consumo de anúncios de vídeo volta a pôr sobre a mesa uma demanda reiterada dos anunciantes, que pedem que companhias terceiras possam verificar os números oferecidos pelo Facebook.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia