Células 'reprogramadas' combatem a cegueira

Cientistas russos conseguem criar retina a partir de reversão de tecido da pele

Por thiago.antunes

Moscou - A cura da cegueira está próxima. Quem garante é o Centro de Análises Clínicas de Medicina Físico-Química da Rússia. Cientistas afirmam ter cultivado, com sucesso, retinas através da reprogramação de células.

Segundo estudo publicado ontem no jornal ‘Izvestia’, o primeiro transplante de teste será realizado em 2017. Com a ajuda de novas tecnologias, cientistas planejam posteriormente realizar estudos no tratamento do Parkinson.

Primeiro transplante de teste deve ser realizado no ano que vem Reprodução

Reprogramação de células é um fenômeno bastante novo na ciência. Signa Yamanaka, da Universidade de Quioto, descobriu a capacidade única de células humanas de determinados tecidos, como a pele, de mudar sua estrutura para o estado embrionário. As células-tronco podem dar origem a quase todo tecido.

A partir dos fibroblastos da pele, pode-se criar uma retina. Esta operação permitirá tratar, por exemplo, pacientes que estão perdendo a visão por causa de degeneração macular, doença causadora da cegueira em pessoas com mais de 55 anos.

O laboratório de biologia disse que o tecido mais fácil de ser trabalhado no método de reprogramação é a pele, pois a realização da biopsia não causa danos graves ao paciente, e as células se multiplicam significativamente.

Mesmo havendo alguns tratamentos que retardam o progresso da cegueira, os pacientes com degeneração macular genética começam a cegar entre 20 e 30 anos, pois não há, até hoje, um remédio contra ela.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia