ONU aprova sanções contra Coreia do Norte após quinto teste nuclear

O conselho fixa um limite máximo de US$ 400,9 milhões para a exportação de carvão entre outros impedimentos

Por lucas.cardoso

Brasília - O Conselho de Segurança da ONU aprovou na quarta-feira, por unanimidade, uma resolução reforçando as sanções contra a Coreia do Norte, em resposta ao quinto teste nuclear do país.

Na nova resolução, o conselho decidiu que o país não deve fornecer, vender ou transferir carvão, ferro e minério de ferro do seu território, exceto para fins de subsistência. As informações são da agência chinesa Xinhua.

O conselho fixa um limite máximo para a exportação de carvão pela Coreia do Norte [oficialmente República Popular Democrática da Coreia - RPDC], que não pode ultrapassar US$ 400,9 milhões ou 7,5 milhões de toneladas métricas do produto por ano, o que for menor, a partir de 1º de janeiro de 2017. Além disso, o órgão proíbe a venda de cobre, níquel, prata, zinco e estátuas por parte do país.

Em 9 de setembro, o paísrealizou mais um teste de explosão de ogivas nucleares. Foi o quinto teste nuclear de Pyongyang, realizado oito meses após o anterior. "O governo chinês se opõe firmemente a tal ato," disse o embaixador chinês na ONU, Liu Jieyi.

"A resolução adotada pelo Conselho hoje demonstra a posição uniforme da comunidade internacional contra o desenvolvimento pela Coreia do Norte de seus programas nucleares e de mísseis e para a manutenção do regime internacional de não proliferação nuclear," disse Liu.

Após o conselho aprovar a resolução, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que a nova resolução "envia uma mensagem inequívoca" de que a Coreia do Norte deve cessar outras ações provocatórias e cumprir plenamente as suas obrigações internacionais.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia