Por gabriela.mattos
Publicado 27/12/2016 00:59 | Atualizado 27/12/2016 01:21

Estados Unidos - George Michael lutava contra o sobrepeso e morreu de insuficiência cardíaca, informou nesta segunda-feira o site ‘TMZ’. A família e o staff do cantor, morto domingo, não comentam os “rumores” e apenas pedem privacidade. George Michael tinha 53 anos. Nesta segunda-feira, a casa dele em Londres amanheceu repleta de flores e velas.

Fotos publicadas pelo site SplashNewsOnline e tiradas em meados de setembro mostram o cantor muito acima do peso. Desde então, George Michael mal saía de casa. Na Véspera de Natal, não cumpriu uma tradição de anos: assistir à Missa do Galo na igreja vizinha. Ele faleceria dali a poucas horas. Foi um ícone da cultura popular, conhecido tanto pelos sucessos que emplacou nos primeiros lugares como por suas polêmicas.

Brilhou como membro do duo Wham! e como solista ao longo de uma carreira na qual vendeu mais de 100 milhões de discos, que inclui músicas que se transformaram em clássicos do pop como ‘Careless Whisper’ e ‘Faith’.

Fãs rendem homenagens na casa do cantor%2C em LondresEfe

A última vez que suas músicas estiveram no ‘top 10’ no Reino Unido foi em 2004 - ‘Flawless (Go To The City)’ e ‘Amazing’ -, e em 2008 anunciou a intenção de se aposentar dos palcos, embora três anos mais tarde tenha retomado parte da atividade.

Filho de um greco-cipriota e uma britânica, Michael nasceu em 25 de junho de 1963 em ao bairro de East Finchley, ao norte de Londres, com o nome de Georgios Kyriacos Panayiotiu. Ficou famoso quando ainda era um adolescente, no começo dos anos 80, após formar com seu colega de escola Andrew Ridgeley o Wham!, duo com o qual fizeram sucesso após sucesso, culminando com o hit ‘Wake me Up Before You Go-Go’.

Os amigos terminaram a parceria em 1986. Esse foi o começo da brilhante carreira solo de Michael. Seu primeiro álbum, ‘Faith’, foi um sucesso de vendas multimilionário em 1988. A esse trabalho seguiram ‘Listen Without Prejudice Vol. 1’, em 1990, ‘Five Live’ (1993), ‘Older’ (1996) e ‘Songs from the Last Century’ (1999).

Vício em crack e maconha

Com a passagem dos anos, seus problemas com a lei e sua relação com as drogas começaram a ter destaque na imprensa. Em outubro de 2006, Michael se declarou culpado de dirigir sob a influência de tóxicos. Em entrevista de 2009 ao ‘The Guardian’, o cantor admitiu ter consumido crack e revelou fumar até 25 cigarros de maconha por dia.

Em setembro de 2010, passou quatro semanas na prisão depois de perder o controle da sua caminhonete e invadir uma loja de Londres. Ele estava dirigindo sob a influência de drogas.

Ao sair da cadeia, admitiu que estava envergonhado por desrespeitar a lei e disse que estava fazendo um tratamento.

Você pode gostar