Por rodrigo.sampaio

França - O homem que invadiu com seu carro uma pizzaria na segunda-feira à noite na periferia de Paris, matando uma adolescente e ferindo 13 pessoas, havia tomado uma grande quantidade de medicamentos e as autoridades descartam a motivação "terrorista".

Autoridades francesas descartam terrorismo em incidente em ParisAFP

O motorista do veículo confirmou à polícia "que havia absorvido uma quantidade importante de medicamentos", afirmou à AFP nesta terça-feira uma fonte judicial. "As declarações que deu até agora não permitem permitem estabelecer a motivação", disse Eric de Valroge, promotor adjunto de Meaux, região onde aconteceu o atropelamento. "Neste ponto da investigação, eu descarto a motivação terrorista", declarou. 

O incidente aconteceu em um momento de forte ameaça terrorista na França e cinco dias após um ataque executado com um vehículo contra um grupo de militares em Levallois-Perret, também na periferia de París. Desde 2015, a França registrou vários atentados que deixaram, ao todo,  239 mortos. 

O suspeito, nascido em 1985 e detido após os fatos, teria a intenção de se suicidar, segundo uma fonte judicial. Ele invadiu com um carro, um BMW, a entrada de uma pizzaria na localidade de Sept-Sorts, leste de Paris, no departamento de Seine-et-Marne, segundo o Ministério Público de Meaux. 

Uma menina de 12 anos, morreu, indicou o porta-voz do ministério do Interior, Pierre-Henry Brandet, à emissora de televisão BFMTV. Outras quatro pessoas estão em estado grave e oito levemente feridas. O irmão mais novo da menina falecida, de três anos, é um dos gravemente feridos.

As declarações do homem detido "permitem descartar a pista terrorista", afirmou uma fonte judicial. O suspeito era um "desconhecido para os serviços de Inteligência e para a Justiça", declarou Brandet.

Dirigindo uma BMW, o homem declarou "ter tentado por fim a seus dias, sem sucesso no domingo. Ele teria decidido tentar de novo desta maneira", acrescentou a fonte judicial.

Você pode gostar