Smartphone Fire da Amazon dá oportunidade para avivar mercado 3D

Desenvolvedores contam com a combinação de poder de marketing e escala da Amazon para promover o 3D, que até agora foi principalmente um fracasso

Por douglas.nunes

Os fabricantes de software para dispositivos móveis estão esperando que a Amazon.com Inc. e seu smartphone, Fire, façam o que seus predecessores não conseguiram: aumentar a demanda por dispositivos e aplicativos 3D.

No que tange aos smartphones, o 3D não se limita a dar profundidade às imagens. O smartphone Fire, cujas remessas começarão no dia 25 de julho, possui sensores que respondem ao modo em que os usuários seguram, veem ou movimentam o aparelho. Quatro conjuntos de câmeras e luzes infravermelhas acompanham os movimentos dos usuários com um software especial – permitindo que os jogadores deem zoom em jogos como o vindouro “Saber’s Edge” ao aproximarem a cabeça da tela ou deem uma olhada num mapa no aplicativo da Yelp Inc. para ver avaliações.

Os desenvolvedores contam com a combinação de poder de marketing e escala da Amazon para promover o 3D, que até agora foi principalmente um fracasso. Fabricantes de telefones, como a HTC Corp. e a LG Electronics Inc., já tinham lançado cerca de duas dúzias de smartphones 3D, mas nenhum foi um grande sucesso. Consumidores dispostos a pagar mais pela terceira dimensão nos cinemas não estão fazendo o mesmo com suas TVs, laptops ou dispositivos móveis. Atualmente, o 3D representa menos de 0,5 por cento de todos os aplicativos móveis lançados na Apple App Store ou na Google Play, segundo a empresa de análises App Annie.

“Talvez a Amazon possa mudar isso”, disse Roger Entner, analista da Recon Analytics LLC, em entrevista. “Dependendo do sucesso que o Fire obtiver, o mercado pode se encaminhar por aí. Todos estão esperando para ver como ele se sairá”.

‘Relativamente leve’

Os prognósticos de vendas para o smartphone Fire variam. Doug Anmuth, analista da JPMorgan Chase Co., espera que o aparelho venda de 2 milhões a 3 milhões de unidades neste ano, ao passo que Colin Sebastian, analista da Robert W. Baird Co., disse por e-mail que espera uma “demanda relativamente leve pelo telefone”. A Apple Inc. vendeu 150 milhões de unidades do iPhone no ano passado.

A seu favor, a Amazon tem perseverança e poder de marketing. O novo smartphone é promovido na página inicial da Amazon.com, o décimo site mais visitado no mundo, segundo a Alexa.com. A Amazon Appstore é um lugar proeminente para exibir os aplicativos para o smartphone Fire. A Amazon já usou sua influência para ajudar a promover seus dispositivos antes e converteu o Kindle no dispositivo mais popular para ler e-books nos EUA, o que ajudou a companhia a se tornar a maior vendedora de e-books.

“Uma empresa como a Amazon sabe como vender produtos. Isso cria um ótimo ecossistema e um ótimo ambiente”, disse Mel Kirk, vice-presidente da fabricante de videogames Zen Studios, que está desenvolvendo jogos compatíveis com o smartphone Fire.

Mais lucrativos

Outro incentivo para criar aplicativos para o smartphone Fire é que os desenvolvedores descobriram que os usuários da Amazon são mais lucrativos. A Backflip Studios, em Boulder, Colorado, descobriu que os consumidores que compram seus aplicativos na Amazon tendem a gastar 50 por cento a mais em características internas do jogo do que os usuários que os compram em outras lojas de Android, disse Dale Thoms, um dos fundadores da Backflip.

Alguns desenvolvedores de 3D cobram pelos aplicativos, e os preços variam muito. Vários oferecem seus aplicativos gratuitamente e cobram por recursos adicionais.

Se o recurso 3D conquistar a preferência dos clientes, a Apple e a Samsung Electronics Co., que dominam o mercado de smartphones, também poderiam adotá-lo, disse Rob Enderle, analista do Enderle Group.

“Projetando para os próximos dois a cinco anos, é possível que os desenvolvedores vejam uma oportunidade”, disse Brian Blau, analista da Gartner Inc., em entrevista. “Tem que haver usuários o bastante para que eles façam um esforço”.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia