Na ânsia de sair da casa dos pais, jovens estão atrás de imóveis pequenos

Santa Rosa, Pendotiba e Região Oceânica têm boas opções para quem está em busca do seu próprio 'cantinho'

Por marina.rocha

Niterói - Sabe quando o espaço na casa dos pais começa a ficar cada vez menor e a pessoa quer ‘cair na vida’? Então, esta questão tem sido cada vez mais recorrente entre os jovens de Niterói. Acontece que, na hora de colocar as ‘pernas no mundo’, o preço do imóvel tem que caber no bolso. E aí a fórmula matemática é ‘batata’: pouca idade é igual a pouca experiência profissional... que é igual a pouco dinheiro... que só dá para pagar por uma casa pequena. Mas que o jovem terá todo orgulho de chamar de ‘seu’.

Glaucia Amorim se separou há um ano%2C mas não abriu mão de morar sozinha Alexandre Vieira / Agência O Dia

De acordo com o diretor da Brasil Brokers, imobiliária parceira da Ademi-Niterói, Bruno Serpa Pinto, há um crescimento no número de jovens que compram suas casas. Atualmente, 18% dos clientes da empresa têm entre 21 e 30 anos e 65% procuram por imóveis de, no máximo, dois quartos.
“Santa Rosa, Pendotiba e Região Oceânica têm atendido bem os compradores mais novos, pois há opções de imóveis pequenos e com preços acessíveis”, destacou Pinto.

Há quatro anos a advogada Glaucia Amorim, de 31 anos, casou e comprou um apartamento em Santa Rosa. Mas há um ano se separou e teve que assumir as contas e a parcela do ‘apê’ (R$ 1 mil) sozinha. “Tive que mudar de emprego para ganhar mais e ainda não consegui comprar meu carro, mas vale a pena. É muito bom morar sozinho”, falou.

E quem não pode comprar aluga. Na Região Oceânica, condomínios com casas pequenas estão fazendo sucesso. Como o construído pelo mestre de obras José Paulo Lemes, que percebeu a crescente do mercado. Há quatro anos ele ergueu um condomínio com oito casinhas no Engenho do Mato. Quarto, cozinha e banheiro em 25m² que custam um aluguel de R$ 600 mensais. "É uma casa ideal para uma pessoa. Todas elas estão alugadas, a procura é grande, principalmente por jovens de até 30 anos", explicou.

Logo ali perto, a agente de viagens Giselle Barbosa, de 24 anos, achou um condomínio no mesmo estilo e viu a oportunidade de morar sozinha.“Já estava com vontade de sair da casa dos meus pais, quando achei essa casa de 50m² com aluguel de R$ 1 mil. Nem pensei duas vezes, me mudei há quatro meses e estou amando", disse ela. Colocando todas as contas no papel, Giselle gasta cerca de R$ 1,5 mil, o que corresponde a 40% de seu salário.

Giselle Barbosa achou um ‘cantinho’ de 50m² com aluguel de R%24 1 milMarina Rocha

30% do salário

Para quem está pensando em encarar de vez a vida de adulto e sair da casa dos pais, o especialista em finanças Gilberto Braga aconselha: é preciso cortar o supérfluo e gostar de ficar em casa. “Diminuir as baladas, fazer programas ao ar livre em praças e praias e assistir filmes na TV a cabo são alternativas aos programas mais caros”, enumerou.

O aluguel ainda é uma boa opção para quem não tem o valor de entrada de um imóvel. E apesar de não haver uma regra fixa, ele destaca que utiliza-se como parâmetro que o aluguel ou a prestação da casa própria só deve comprometer até 30% do salário.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia