Samu recebe três novas ambulâncias dotadas de respiradores e UTI

Com este mais recente reforço, frota do município chega a 15 veículos equipados

Por Irma Lasmar

Segundo o secretário municipal de Saúde, unidades agilizarão tempo de resposta
Segundo o secretário municipal de Saúde, unidades agilizarão tempo de resposta -
Niterói - A Prefeitura recebeu mais três ambulâncias com UTI nesta segunda-feira, entregues na unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da Alameda São Boaventura, no Fonseca. Com este mais recente reforço, o município chega a 15 veículos equipados. A intenção do prefeito Rodrigo Neves é que as novas ambulâncias fiquem disponíveis apenas nas unidades de referência para os pacientes de coronavírus com uma logística especial e não sobrecarregue o serviço do Samu que atende rede domiciliar de urgência e ainda presta suporte aos bombeiros, além de evitar a contaminação de pacientes com outras enfermidades.
“Uma das questões decisivas para o tratamento dos casos graves de Covid-19 é que, após a entrada na unidade de pronto atendimento, o paciente precisará ser estabilizado e, rapidamente transportado para a unidade de referência de tratamento hospitalar. Essas novas ambulâncias, junto às ambulâncias do Samu, possibilitarão agilizar o nosso tempo de resposta”, explicou o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira.
O prefeito ressaltou, ainda, a importância da quarentena e do isolamento social.
“As cidades que adotaram essas medidas foram as que enfrentaram a doença com menos mortes. Já percebemos que, em Niterói, o aumento dos casos tem sido com menos força do que em cidades vizinhas. Iniciamos hoje a terceira etapa desse processo que começou com o fechamento de teatros, cinemas, depois restaurantes, bares e praias e, agora, todas as atividades econômicas com exceção de serviços essenciais. Por isso, reforço o apelo para que todos fiquem em casa”, resumiu o chefe do Executivo niteroiense. “Isso é muito importante para salvarmos vidas, principalmente nas próximas semanas, quando poderemos enfrentar, de fato, uma situação muito difícil no Brasil, no Rio de Janeiro e em Niterói”.

Comentários