Abordagens aos sem-teto acontecem em todos os bairros do município, segundo informam os porta-vozes da Prefeitura - Divulgação / Berg Silva
Abordagens aos sem-teto acontecem em todos os bairros do município, segundo informam os porta-vozes da PrefeituraDivulgação / Berg Silva
Por Irma Lasmar
Niterói - Quarenta e seis dos 70 leitos disponibilizados no primeiro hotel da cidade arrendado pela Prefeitura já foram preenchidos por pessoas em situação de rua, o público-alvo desta ação inédita no estado do Rio. E o prefeito Rodrigo Neves afirma que cogita, caso seja necessária, a abertura de mais vagas para atender a novas demandas de acolhimento.

“Esse hotel atende a homens e mulheres adultos que não estejam infectados, que concordem e queiram se abrigar. Até o momento, nenhuma dessas pessoas saiu ou pediu para ser desligado do acolhimento. Estão aqui contribuindo com a saúde deles e com a saúde da população”, comemorou a secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Flávia Mariano. “Isso já é reflexo da conscientização do trabalho que vem sendo feito para o enfrentamento da doença”.

Desde o início da pandemia, a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Niterói, em parceria com a equipe do Consultório na Rua, projeto da Fundação Municipal de Saúde, está reforçando as abordagens de prevenção e informação sobre o novo coronavírus. As ações acontecem diariamente em todos os bairros do município.

Para ter acesso a uma vaga no hotel, após a abordagem feita pelas equipes nas ruas, os usuários passam pelo atendimento social realizado por no Centro de Referência à População em Situação de Rua, o Centro Pop.

“O isolamento social é para todos, até para pessoas em situação de rua. Estamos fazendo de tudo para que os impactos sociais e econômicos gerados pela pandemia sejam os menores possíveis em nossa cidade. No hotel, eles recebem todas as refeições, além de terem acesso ao atendimento e acompanhamento com as equipes técnicas da Assistência Social e da Saúde, disponíveis 24 horas para esta população”, enfatizou o prefeito Rodrigo Neves.

Luciano Costa é um dos acolhidos no hotel e conta como a iniciativa está sendo importante para ele neste momento tão delicado: “A gente, em situação de rua, pode pegar o vírus também. Essa ajuda da Prefeitura em nos dar um lugar para dormir, comer e fazer a higiene é muito importante. Aqui, nós temos atendimento, cama limpa, álcool em gel, lençol, toalha e tudo que a gente precisa. Espero que os outros que ainda não vieram possam vir também”.

A secretária Flávia Mariano ressalta que todos os Centros de Acolhimento estão abertos e preparados de acordo com as normas de higiene e prevenção ao Covid-19. Além disso, os Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) funcionam de segunda a sexta, das 11h às 15h para atender a população.

“As equipes da Assistência Social e do Consultório na Rua também estão fazendo um rastreamento de pacientes sintomáticos. Além da avaliação dos acolhidos todos os dias, dão orientações sobre os cuidados com a saúde, para que eles se sintam mais seguros em relação à prevenção da doença”, completou Flávia.