Empresas que faturam até 1 milhão de reais por ano e se enquadram no Supera Mais não precisarão se cadastrar novamente - Arquivo
Empresas que faturam até 1 milhão de reais por ano e se enquadram no Supera Mais não precisarão se cadastrar novamenteArquivo
Por O Dia
Niterói - Foi prorrogado até o dia 12 de julho o prazo para que as empresas cadastradas nos programas Empresa Cidadã 1 e 2 revalidem o termo de adesão. É preciso acessar o site https://www.empresacidada.niteroi.rj.gov.br para garantir o auxílio na folha de pagamento por cinco meses, ao invés dos três meses previstos inicialmente. Em contrapartida, as inscritas terão que se comprometer, no novo termo, a não reduzir postos de trabalho por até oito meses. O anúncio foi feito durante pronunciamento do prefeito Rodrigo Neves nas redes sociais.
“A Prefeitura de Niterói desenvolveu uma série de medidas inovadoras para manter as empresas da cidade de pé durante esse período da pandemia. O Empresa Cidadã é um programa único. E estamos trabalhando ainda em um plano de retomada da atividade econômica que deverá ser anunciado em breve”, afirmou o prefeito. 
Publicidade
De acordo com a Secretaria Municipal de Fazenda, 2.481 já revalidaram até o momento o termo de adesão ao programa. Mas ainda há 370 empresas ainda não fizeram a renovação. Na quinta-feira (02) foi feito o repasse para a folha dos inscritos no Empresa Cidadã 1 e na sexta-feira (03) para os cadastrados no Empresa Cidadã 2.
O prefeito comentou também sobre os programas Niterói Supera e Supera Mais, de oferta de crédito para capital de giro de micro e pequenas empresas. “Como o Banco do Brasil não estava conseguindo chegar no número de empresas e nem no volume de crédito que gostaríamos, tampouco atendendo as pequenas empresas, mudamos a forma de fazer o programa. Aquelas empresas que faturam até 1 milhão de reais por ano e se enquadram no Supera Mais não precisarão se cadastrar novamente. Vamos utilizar o cadastro feito para o Niterói Supera e migrar essas empresas para o Supera Mais, que já vai começar a conceder crédito na segunda quinzena de julho. E os setores que ficaram mais tempo fechados durante a pandemia, como bares, restaurantes, lanchonetes e academias terão prioridade", destacou.