Donna Toscana, que funciona também como bar, retomou as atividades com protocolos rígidos de segurança - Luciano Belford
Donna Toscana, que funciona também como bar, retomou as atividades com protocolos rígidos de segurançaLuciano Belford
Por MARCELO BERTOLDO

Depois de quatro meses, as academias de ginástica reabriram as portas ontem em Niterói. A busca pela boa forma, no entanto, exigirá a mesma disciplina aplicada nas atividades físicas também no cumprimento das normas impostas para a retomada do setor em meio à pandemia da covid-19. Com horário limitado entre 6h e 21h, as academias voltam com a restrição de 50% da capacidade.

Além da obrigatoriedade de dois metros de distância entre os alunos, cada um terá direito a um kit individual de higiene e o espaço precisa ser sanitizado a cada duas horas. Por ora, o banho não será permitido no local, assim com as aulas de dança e natação. No aguardado dia de reabertura, os sócios Bruno Pereira, Bruno Giesta, Caio Duprat, Luiz Lenda e Lorena Lee suaram a camisa para atender todos os protocolos de higiene e segurança nas três unidades da Academia Troia, em Icaraí, São Francisco e Região Oceânica.

"Estamos seguindo todas as recomendações da prefeitura de Niterói e da OMS: espaçamento entre alunos de acordo com a metragem quadrada dos nossos boxes, aferição de temperatura, higienização frequente dos materiais de treino, álcool disponível para os alunos e funcionários, e máscara, obrigatória para todos", disse Carol Dal Bello, responsável pelo marketing da academia.

Em agosto, começa a segunda fase da retomada nas academias, com a permissão da ocupação de 30% dos espaços voltados para aulas coletivas, cuja utilização está vetada por enquanto. O uso da piscina será autorizado com regras específicas e os chuveiros, liberados. A Troia aposta na tecnologia para evitar o risco de contágio. Os alunos confirmam a presença por aplicativo. A ferramenta ajuda a manter o controle no número de pessoas por aula.

Você pode gostar
Comentários