Niterói é 1ª do estado e 11ª do país no ranking internacional das cidades inteligentes

Connected Smart Cities 2020 leva em consideração indicadores de inteligência, conexão e sustentabilidade

Por O Dia

NITERÓI é a primeira cidade do estado do Rio de Janeiro e a 11ª do país no Ranking Connected Smart Cities 2020, que qualifica as cidades mais inteligentes e conectadas do país. Feito com o objetivo de mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil através de indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade, o ranking traz indicadores desenvolvidos pela consultoria Urban Systems. Na primeira edição, em 2015, Niterói estava em 17º lugar no país. Em 2019, a cidade estava na 12ª posição nacional.
“Nossa administração busca soluções tecnológicas inovadoras que possam ser aplicadas pública com eficiência, trazendo agilidade e aprimorando os serviços oferecidos ao cidadão de Niterói”, destaca o prefeito Rodrigo Neves. “Nos últimos anos, realizamos investimentos importantes, como o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), o Sistema de Monitoramento e Cercamento Eletrônico, o Centro de Controle Operacional (CCO), o Sistema de Geo Informações da Defesa Civil, o Colab e o Hacknit, que permitem maior participação da sociedade, entre outras iniciativas. Esses programas, além de aumentar a qualidade e a transparência da gestão, são os responsáveis pelo bom desempenho de Niterói no ranking”.
Para o desenvolvimento do Ranking Connected Smart Cities, a Urban Systems utilizou uma metodologia própria de ponderação de indicadores, denominada de Índice de Qualidade Mercadológica (IQM). Ele coleta dados e informações de todos os municípios brasileiros com mais de 50 mil habitantes (segundo estimativa populacional do IBGE em 2019), totalizando 673 cidades, sendo: 48 com mais de 500 mil habitantes, 274 com 100 a 500 mil habitantes e 349 com 50 a 100 mil habitantes. De acordo com a publicação, “o conceito de smart city considerado entende que o desenvolvimento só é atingido quando os agentes de desenvolvimento da cidade compreendem o poder de conectividade entre todos os setores. Exemplo disso é a consciência de que investimentos em saneamento estão atrelados não apenas aos ganhos ambientais, como aos ganhos em saúde, que irão a longo prazo reduzir os investimentos na área (atendimentos de saúde básica) e consequentemente impactarão em questões de governança e até mesmo economia”.
O ranking também leva em conta também a importância da sustentabilidade econômica como base da sustentabilidade ambiental e social, uma vez que entende-se que não seja possível que municípios atinjam sustentabilidade ambiental ou social, sem a base de um desenvolvimento econômico que garantirá uma reprodução dos ganhos nas outras esferas. Nos indicadores governança, educação, segurança, meio ambiente, urbanismo, Niterói também conquistou o primeiro lugar no Estado e, no ranking nacional, ficou em 7º, 23º, 15º, 4º e 10º lugares, respectivamente. Já nas áreas de saúde e de tecnologia e inovação, a cidade conquistou a segunda posição no Rio, e 10ª e 48ª no país, respectivamente.

Comentários