Entrada é francaImagem Arquivo

Por O Dia
Niterói - Com cerca de 60 obras, a mostra tem o objetivo de levar o público a uma imersão artística, sensorial e imagética que desperte a dinâmica do movimento no visitante. A exposição “Tudo que move é sagrado” será aberta ao público nesta quarta-feira (16), com entrada franca.
Com curadoria de Jorge Mendes, o público poderá conhecer um pouco das obras de grandes artistas brasileiros, divididas em cinco setores. De esculturas, teatro de mamulengos, cataventos, à dança dos ventos de Iansã, a instalação passeia pelas mais variadas técnicas e linguagens artísticas.
Publicidade
“O Museu Janete Costa é o único espaço com vocação exclusiva para a arte popular. Trazer esse olhar sobre a ideia de movimento, em um momento tão difícil para todo mundo, é a demonstração da arte como necessidade para a vida. Mais do que nunca, precisamos nos preencher de cultura, para atravessar essa fase complexa com saúde física e mental. E a exposição traz esse respiro necessário para o público”, ressaltou o secretário Municipal das Culturas, Leonardo Giordano.
Para a diretora do Museu, Daniela Magalhães, “A exposição aborda um tema super atual, que dialoga com esse momento tão delicado que estamos vivendo, que é a dificuldade de nos mover e respirar. Está super lúdica e colorida e isso também se torna um convite às crianças para virem nos visitar. Para que todos se sintam seguros, o museu está respeitando todos os protocolos sanitários como a capacidade máxima de 24 pessoas por hora, com uso obrigatório de máscara, além de tapetes sanitizantes, tótens de álcool em gel e aferição da temperatura na entrada”, destacou.
Publicidade
No primeiro setor, estão o barco do Mestre Fida e a escultura de sinaleiro confeccionadas por Laurentino Rosa dos Santos, referência na arte popular brasileira. Também se destacam cinco cataventos elaborados pelos artistas Mestre Zezinho de Arapiraca, Mestre Lampião, Mestre Zé de China, Kito Catavento e Darci de Resende.
O segundo setor expõe brinquedos e esculturas. Em homenagem ao artista e ceramista de Niterói, Adalton Fernandes, a terceira parte da instalação foi batizada de “Mestre dos movimentos”, e retrata as cenas da vida urbana, suas festividades e atividades.
Publicidade
“Dança dos Ventos”, no quarto setor da mostra, é dedicado à Iansã, ou Oyá, a Orixá dos ventos e tempestades das religiões de matrizes africanas. Já o teatro de bonecos mamulengos é inspirado nos tradicionais modelos de Glória do Goitá (PE), na Zona da Mata pernambucana, com obras dos Mestres Miro, Solon, Saúba, Tonho, Titinha, Bel e Bila.
Para quem quiser conferir sem sair de casa, o Museu realizará uma programação virtual no dia da abertura e durante todos os domingos de junho, com participação da Cia de Ballet de Niterói, imagens e entrevista com o curador da exposição. Acompanhe a programação nas redes sociais do Museu Janete Costa de Arte Popular.
Publicidade
Serviço:
Exposição “Tudo que move é sagrado”
Publicidade
Museu Janete Costa de Arte Popular
Rua Presidente Domiciano 178, Ingá
Publicidade
Telefone: 2705-3929
Publicidade
Redes sociais: @museujanetecosta