Por sergio.mattos
Rio - Na manhã desta segunda-feira, primeiro dia de proibição da circulação de vans em 11 bairros da Zona Sul, ônibus e metrô ficaram lotados. A CET-Rio, com apoio do batalhão de Choque da PM montou 24 pontos de fiscalização nos acessos, mas a maioria dos proprietários de vans e kombis preferiu não arriscar ter o veículo apreendido.
Na Autoestrada Lagoa-Barra, no sentido Lagoa, o trânsito é lento ao longo da via, assim como no Elevado do Joá, Ponte da Joatinga e avenidas Ministro Ivan Lins, Armando Lombardi e das Américas, na Barra.
Publicidade
Passageiros fazem fila em frente à Favela da Rocinha | Foto: João Laet / Agência O Dia
Dois bloqueios foram implantados no sentido Lagoa: um na descida do Elevado do Joá e outro na altura da Rocinha. Desde às 4h da manhã, 24 bloqueios em vias de acesso para a Zona Sul foram implantados com o objetivo de reordenar o tráfego. "Pego van todo dia e estou aqui há uma hora e meia. Não consigo entrar nos ônibus, que estão muito cheios", reclamou o pedreiro Osvaldo Batista, de 41 anos, que tentava chegar ao Leme.
Publicidade
Até as 8h30, não havia apreensões de vans. Três ônibus piratas foram recolhidos por fiscais na Lagoa, na saída do Túnel Rebouças, sentido Zona Sul, e duas kombis que faziam frete foram multadas e liberadas na Rocinha, pois apresentavam problemas na documentação. Segundo dados do Sindicato do Transporte Alternativo (Sindivans), 30 linhas, com 600 veículos, deixam de transportar 100 mil pessoas entre outras regiões da cidade e a Zona Sul nesta segunda.