Por leandro.eiro

Rio - Os carros denominados como ‘lendários’ deveriam ser eternos. Mas não são. Nos resta, então, torcer para que atravessem gerações mantendo o DNA. É o que acontece com o novíssimo Ford Mustang, um clássico capaz de atravessar décadas.

A sexta geração do Mustang ganha a atual identidade visual da FordDivulgação


O ‘pony car’ se atualizou e agora está com a identidade visual da marca do oval azul. A semelhança com o conceito Evos, exibido no Salão de Frankfurt de 2011, pioneiro dos traços, e com o Fusion, veículo mais expressivo do design em questão, é evidente. A dianteira traz os faróis pequenos e alongados, o capô saliente com vincos e a grade trapezoidal — é o conceito batizado de Kinetic 2.0.

Mas o novo Mustang ainda consegue manter as raízes, assim como apresentar alterações visando uma escala global — leia-se pretensões para o mercado europeu. Na traseira, a lanterna sob a forma de três fileiras verticais é a dose de nostalgia obrigatória que o esportivo precisa manter. Já para-brisa menor e a maior inclinação do teto, aumentando sua característica de cupê, é o ‘tempero’ que os europeus gostam de ‘saborear’ nos automóveis.

Toda essa ‘salada’ no visual externo busca adequação com os potenciais públicos-alvo do carro. No interior, o cockpit parece ter mantido a essência, mas apresentando evolução. A posição do volante, painel e instrumentos estão de acordo com a geração atual, mas com um melhor acabamento. A globalização do Mustang provoca alterações em sua ficha técnica e posicionamento no mercado — nesse contexto, o Brasil finalmente receberá o modelo de forma oficial em 2014.

Interior evoluiu mas mantém características do modeloDivulgação


Motor e componentes inéditos

O novo Mustang conta com um chassi que abusa do uso do alumínio, que deixa 90 kg o carro mais leve do que a atual geração do modelo. Uma outra novidade é a suspensão traseira, que se tornou independente e vai proporcionar ao ‘pony car’ condução mais suave.

Expectativa maior em torno da novidade, o Mustang 2015 aprimora os atuais motores e vai ganhar um propulsor EcoBoost 2.3 litros, com injeção direta de combustível, e 310 cv de potência. A versão mais branda do esportivo é equipada com um seis cilindros 3.7 litros de 304 cv, enquanto que a topo de linha, a GT, conta com um parrudo trem de força V8 5.0 litros de 420 cv de potência máxima.

Natural que esta nova geração receberia os atuais recursos tecnológicos do segmento. Por isso, o novo Mustang conta com acesso inteligente com botão de partida, alerta para pontos cegos e tráfego cruzado, controle de velocidade adaptativo, sistema multimídia e chave configurável, entre outras aplicações específicas.

A chegada ao mercado está prevista para o segundo semestre do ano que vem, ano que o histórico carro completa 50 anos. No Brasil será apresentado no Salão de São Paulo, em outubro.

Esportivo finalmente chegará oficialmente ao BrasilDivulgação


Você pode gostar