Triciclos: na onda das velozes três rodas

Eles estão leves e esportivos, ganham novas versões e mercado como o Slingshot, da Polaris

Por leandro.eiro

Rio - A Polaris está com um veículo inédito na sua linha de modelos. Misto de motocicleta e automóvel, é o inusitado triciclo Slingshot, que acaba de ser apresentado no mercado dos Estados Unidos — apesar de estar presente no Brasil, onde vende quadriciclos, o novíssimo três rodas da Polaris não tem previsão mas pode desembarcar aqui.

Sem capota%2C agressivo e com 175 cv%3A adrenalinaDivulgação


Com capacidade para dois ocupantes, que viajam lado a lado e não um na frente e outro atrás, o Slingshot, mesmo sendo um triciclo, não é equipado com guidão. Ao contrário, conta com um volante de automóvel. Ao mesmo tempo, é preciso utilizar capacete para pilotar o modelo, assim como ter habilitação para motocicletas — o Slingshot não possui capota.

Com motor 2.4 l de 175 cv de potência, o triciclo é equipado com freios com ABS e controle de tração, além de cintos de segurança de três pontos, assim como em automóveis. Nos Estados Unidos custa a partir de US$ 19,9 mil — cerca de R$ 48 mil.

Com uma roda frontal%2C o holandês CarverDivulgação


Práticos e urbanos, podem ser elétricos

O Polaris Slingshot não está sozinho no ‘universo’ dos triciclos. Muito pelo contrário. Os veículos de três rodas, aliás, são mais comuns do que podemos imaginar ou ver rodando pelas ruas. E até mesmo no Brasil eles desfilam tranquilamente.

É o caso do Can-Am Spyder, da BRP — Bombardier Recreational Products. Fabricado no Canadá, o triciclo é vendido no mercado brasileiro em três versões — RS, ST e RT —, com preços que variam entre R$ 61,2 mil e R$ 79,5 mil. As três versões são equipadas como motor de 998 cilindradas e 106 cv de potência.

Can-Am Spyder%3A no Brasil a partir de R%24 61%2C2 milDivulgação


Na Europa chama atenção o Carver One, triciclo holandês que se inclina em curvas de acordo com a velocidade e a posição do volante. Tal característica se deve a um sistema mecânico e hidráulico capaz de inclinar a carroceria em até 45º — nas baixas velocidades, as curvas somente são feitas com o esterçamento da direção e a cabine permanece na vertical, mas, nas altas velocidades, a carroceria também sofre inclinação.

É também no Velho Continente que começa a ser testado o Toyota i-Road, oferecido como veículo de uso compartilhado na cidade de Grenoble, na França — modelo também está em testes no Japão. O i-Road tem dois motores elétricos, peso de 300 kg e autonomia de cerca de 50 km, credenciais que o tornam um rival direto do triciclo conceitual HYmotion3 Compressor, da Peugeot, um híbrido que pode rodar com o motor a gasolina ou elétrico.

Toyota i-Road já está em testes no Japão e FrançaDivulgação


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia