Presidente da Funai deixa o cargo em meio à crise do governo com indígenas

Marta Azevedo, segundo nota oficial da entidade, deixa o cargo por razões de saúde

Por tamyres.matos

São Paulo - Presidente da Funai, Marta Azevedo, alega problemas de saúde e deixa o cargo
A presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marta Azevedo, deixou o cargo nesta sexta-feira em meio à crise do governo com os indígenas. Em nota, a Funai diz que Marta deixa o comando do órgão por razões médicas. Ela entregou seu pedido de exoneração ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. “Esta decisão foi tomada por ela em virtude da necessidade de realizar tratamento médico que é incompatível com a agenda de presidenta”, diz a nota da entidade.

Presidente da Funai%2C Marta Azevedo%2C alega problemas de saúde e deixa o cargoAgência Brasil

A Funai informa que a diretora de Promoção ao Desenvolvimento Sustentável (DPDS) da Funai, Maria Augusta Assirati, assumirá o cargo interinamente.

Marta deixa o cargo uma semana após conflitos entre índios terena e fazendeiros que resultou na morte de um índio durante tentativa de retirada dos terena da Fazenda Buriti, em Sidrolândia, Mato Grosso do Sul. A partir de hoje, 110 homens e 16 viaturas começaram policiamento ostensivo e preventivo na região para evitar novos confrontos.

Em Brasília, os índios mundurukus se uniram na última quinta-feira para protestar no Palácio do Planalto contra diversos projetos do governo para a construção de usinas hidrelétricas na região amazônica.

Durante a manifestação, os índios, que também são contra as novas regras de demarcação de terras indígenas, quiseram entregar uma carta à presidente Dilma Rousseff, mas foram impedidos pela polícia. O grupo ameaça voltar a ocupar o Canteiro Belo Monte, principal local de obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), caso as obras não sejam paralisadas.

Leia a íntegra da nota

Nota à Imprensa - Presidenta da Funai deixa o cargo por razões de saúde

Informamos que, por razões de saúde, a presidenta da Funai, Marta Maria do Amaral Azevedo, entregou seu pedido de exoneração ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Esta decisão foi tomada por ela em virtude da necessidade de realizar tratamento médico que é incompatível com a agenda de presidenta.

A Funai informa ainda que a diretora de Promoção ao Desenvolvimento Sustentável (DPDS) da Funai, Maria Augusta Assirati, assumirá o cargo interinamente. Ressaltamos que Maria Augusta ingressou na Funai a convite da presidenta e tem conduzido a DPDS com extrema competência e comprometimento com a missão deste órgão. Maria Augusta e os demais diretores darão continuidade à missão da instituição na promoção e proteção dos direitos dos povos indígenas, com o compromisso de fortalecimento da Funai, mantendo o amplo diálogo com os povos indígenas, servidores e demais setores do governo.

Fundação Nacional do Índio - Funai
Brasília, 07 de junho de 2013

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia