Por julia.amin

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira, em Fortaleza, que a explicação da Polícia Federal sobre os boatos do fim do Programa Bolsa Família não é conclusiva e que ninguém sabe o que realmente aconteceu. O mais importante, segundo Dilma, é que as ações do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome continuam sendo cada vez mais aperfeiçoadas para o sucesso do programa. Em maio, boatos sobre o fim do programa provocaram uma corrida às agências da Caixa Econômica Federal em busca do benefício e mais de 900 mil saques foram feitos em um fim de semana.

“A avaliação da Polícia Federal é no sentido de que as mudanças no processo levaram a uma situação de corrida à Caixa. Mas ninguém sabe direito, nem a Polícia Federal conseguiu detectar a causa real. Ela não conseguiu e deixou isso claro na avaliação. O que a investigação acha é que isso poderia ter contribuído, é um dos fatores, mas não é uma explicação conclusiva”, disse a presidenta, após evento na capital cearense.

Dilma participou, nesta tarde, da cerimônia de formatura de cerca de 3 mil alunos qualificados pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Brasil Sem Miséria, que oferece cursos a pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, em especial para as beneficiárias do Bolsa Família.

Durante o evento, a presidenta reforçou que o Programa Bolsa Família continuará a ser pago enquanto houver pessoas que precisem dele. “Este é o compromisso do meu governo, foi o compromisso do governo do presidente Lula. Somente quem não conhece o Bolsa Família é capaz de criticá-lo”.

De acordo com Dilma, o programa atende a uma parcela da população que antes era excluída e que agora não pode ser ignorada por nenhum governo. “Focamos nos beneficiários do Bolsa Família porque este é o compromisso de um governo que tem responsabilidade com aquela parte da população brasileira que durante muitos anos foi excluída e que agora tem que ser o centro das atenções de qualquer governo que queira ser comprometido com o povo brasileiro.”

Após a cerimônia, a presidenta Dilma Rousseff disse também que sancionará a parte que considera justa do projeto de conversão no qual foi transformado a Medida Provisória (MP) 610, que trata de diversas ações de ajuda a pequenos produtores rurais atingidos pela seca no Semiárido. A MP, aprovada na Câmara dos Deputados e no Senado, recebeu emendas que estendem os benefícios a produtores rurais de fora do Semiárido.

“Iremos sancionar a parte que nós aceitamos como sendo a justa. É aquela que diz respeito ao Semiárido do Nordeste. Todos os demais acréscimos não são justos”, disse a presidenta após participar da cerimônia de formatura de cerca de 3 mil alunos qualificados pelo Pronatec, que oferece cursos a pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, em especial para as beneficiárias do Bolsa Família.

“Os agricultores do Semiárido, de fato, não têm como pagar suas dívidas. O que nós estamos facilitando é que eles peguem os recursos agora, se recomponham. Uma parte da dívida vai ser descontada e uma parte transferida para o médio prazo para ser paga”, explicou Dilma.

Você pode gostar