Investigado falso bombeiro que diz ter socorrido vítima de tubarão em Recife

Homem se passou por salva-vidas durante enterro de jovem

Por helio.almeida

Falso bombeiro deu entrevista aos jornalistas durante sepultamento da jovemReprodução Internet

Pernambuco - Durante o enterro da jovem morta em um ataque de tubarão no litoral de Recife, em Pernambuco, um homem consolava a família da vítima. Para todos, ele era o bombeiro que resgatou a estudante paulistana Bruna Silva Gobbi, de 18 anos. Mas descobriu-se que ele não é salva-vidas e nem estava na praia. Agora ele será investigado, como informou o Corpo de Bombeiro nesta sexta-feira.

"Ele não é bombeiro e nunca foi. Conseguimos o nome dele localizamos o endereço onde ele mora. Ele já foi ouvido informalmente e vamos reunir mais informações para consolidar a investigação e assim pedirmos uma abertura de inquérito à polícia", disse ao Dia Online o chefe da Comunicação Social da corporação, tenente-coronel Valdy Oliveira.

O falso bombeiro se apresentou como Fábio Francisco da Silva. De acordo com o tenente Valdy, ele disse na conversa que sofre de doença mental. Ao mesmo tempo em que tem a consciência de que é doente, ele afirmou ao coronel que não se lembra do que estava fazendo no enterro.

"Ele disse que é estudante de direito, que está no sexto período. Vamos levar ainda hoje (sexta-feira) tudo para a Secretaria de Defesa Social. Queremos saber se ele é realmente doente ou está agindo de má fé", acrescentou o militar. O homem pode responder por falsidade ideológica e por se passa por funcionário público. O inquérito pode levar 30 dias até ser concluído.

Em um vídeo feito durante o enterro da jovem, o falso guarda-vidas disse que já realizou quatro resgates em decorrência de ataques de tubarões. Ele se saiu bem ao falar que os banhistas devem respeitar a sinalização de proibição de entrar no mar. Mas em alguns momentos, ele não sabia informar o acidente. Ao ser perguntado por jornalistas sobre a diferença desse resgate para os outro, ele disse: "A única diferença é que nas outras vezes... como posso falar... foi mais tranquilo".

Entenda o caso

Bruna morreu na segunda-feira na Praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Ela e a prima foram levadas para dentro do mar. Um salva-vidas se aproximou de moto aquática e resgatou a prima. Foi quando um tubarão mordeu a perna esquerda de Bruna, que não resistiu e morreu ao perder muito sangue. Ela foi sepultada na tarde de quarta-feira, no Cemitério Descanso Eterno, em Escada, Zona da Mata Sul de Pernambuco, onde mora parte da família dela.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia