Lula: Fiz uma pequena revolução no país

Ex-presidente diz ter dado acesso ao crédito e que provou que trabalhador tem mais competência para governar do que a elite

Por helio.almeida

Rio - O ex-presidente Lula exaltou nesta quinta-feira o período em que governou o país, em vídeo feito para a convenção da central sindical americana AFL-CIO (Federação Americana do Trabalho e Congresso de Organizações Industriais). O petista disse que levou o Brasil para o grupo dos emergentes, deu acesso ao crédito e afirmou que provou que o trabalhador tem mais competência para governar o país do que qualquer representante da elite. "Fiz uma pequena revolução no país".

Ex-presidente falou de sua trajetória de sindicalista e das conquistas do povo brasileiro nos últimos 10 anosReprodução Internet

"Nunca na história do Brasil os trabalhadores participaram tanto de um governo", disse Lula. "Depois de sofrer a mais violenta oposição da imprensa brasileira e de tentação do meu mandato, eu provei que o trabalhador tem mais competência de governar esse país do que qualquer representante da elite desse país, porque não basta ter conhecimento teórico, tem que sentir na consciência, na pele e no coração", completou.

O ex-presidente fala de sua trajetória de sindicalista, das conquistas do povo brasileiro nos últimos 10 anos e das dificuldades atuais dos sindicatos americanos. O vídeo, uma resposta ao convite da central para que falasse no evento, foi exibido ao final do encontro, que foi realizado entre os dias 8 e 11 de setembro. Segundo Lula, ele levou o "Brasil da 10ª economia mundial para a 6ª economia mundial".

Lula contou aos sindicalistas americanos as dificuldades de fazer sindicalismo no Brasil em tempos de ditadura e falou da criação do Partido dos Trabalhadores: “Em 1980 nós criamos um partido político porque descobrimos que de 513 deputados, apenas dois eram trabalhadores”.

O ex-presidente relembrou sua trajetória política para mostrar que, apesar de ter perdido três eleições para presidente, "estava convencido de que eu precisava chegar à Presidência para mostrar que é possível um trabalhador governar um país do tamanho do Brasil". Sobre seu mandato, ele ressalta que “o maior legado que eu pude deixar na Presidência foi a relação que eu estabeleci entre governo e sociedade”.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia