Médicos estrangeiros fazem último teste antes de ir para o interior do país

'Quem for reprovado, não pode participar do programa', afirmou o ministro da Saúde

Por julia.amin

Brasília – Ao encerrar, nesta sexta-feira, um curso de três semanas sobre o sistema de saúde brasileiro e a língua portuguesa, os médicos estrangeiros do Programa Mais Médicos fazem um teste de português. As provas são aplicadas nas oito capitais onde ocorre o curso de avaliação. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explicou que os médicos reprovados serão desligados do programa.

No teste de português, os profissionais devem simular o atendimento a um paciente, preencher um prontuário e escrever um e-mail para o supervisor. Caberá aos professores avaliar casos em que médicos com baixo desempenho deverão passar por um curso de recuperação para aprimorar o conhecimento do idioma.

“Quem for reprovado, não pode participar do programa; será desligado. Alguns profissionais podem ter uma avaliação dos professores das universidades de que eles podem ter um tempo maior de aprimoramento [em língua portuguesa]. Nesse caso, não vão atender a população. Só levaremos para a população médicos que estejam habilitados”, disse Padilha a jornalistas, após participar de lançamento de relatório do Unicef sobre mortalidade infantil.

Os médicos com diploma do exterior aprovados no curso de avaliação do Mais Médicos seguem a partir deste fim de semana para as capitais dos estados onde vão atuar. O início do trabalho está previsto para o dia 23. São 682 os médicos formados no exterior que participam desde o dia 26 de agosto de módulo de avaliação do programa. Do total, 400 são cubanos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia